Piquenique da Igreja de Rio Novo

Na fazenda de Anna Maisin. Veja outra foto tirada na mesma ocasião.



Correspondência entre Carlos Ademar Purim e V. A. Purim (irmãos, ambos sobrinhos-netos de Reynaldo Purim) depois da postagem desta foto (os erros de concordância são propositais e fazem parte do estilo “eu saí da roça mas a roça não saiu de mim” de V. A. Purim):

CARLOS. Existe alguma pista sobre a data/ano deste piquenique?

V. A. Purim. Claro!! Nós estávamos lá!! A Mãe [Vergínia], o Pai [Artur/Otto], o Valfredo, eu e o João. Tá vendo na foto uma uma rodinha menor lá pelas 11 horas? Lá estava eu e nóis. Era a brincadeira paralela das crianças dirigida pela tia Alda.
Existe outra foto onde aparece as Cataratas do Rio Molha. A estrada que vinha do Rio Novo passava pelo alto do Salto e ao atravessar o rio Molha os bois Bonito e Barrozo que puxavam o carro não queriam passar e ficavam se empurrando. A gente dentro do carro ficávamos com medo de irmos salto abaixo. Era a fazenda do Rudolfo e Anna Maisin. Eles tinha uma tafona para moer milho movida pela energia hidráulica da imensa queda d’água.
Quer mais? Era na década de 40 no tempo da guerra.
Quando voltamos já era noite e os bois tiveram que acender os faróis infrared.
Aquele abraço

Anúncios