Mesmo que nada tenha recebido de você, terei que escrever. |De Lucia Purim para Reynaldo Purim – 1925 –

Rio Novo, 5 de agosto 1925
Querido irmãozinho! Saudações.

Mesmo que nada tenha recebido de você, terei que escrever. O Arthurs este sim recebeu cartas suas escritas no dia 2 de Julho e a Olga um pouco antes também uma. Mas como eles estão um tanto folgados em matéria de responder cartas e também cada um tem as suas tarefas para cumprir então as respostas das cartas vai ficando igual a você que também demora a responder as cartas.

O tempo agora está bom e bastante fresco. Mas na noite da segunda feira passada choveu bastante, mas no outro dia pela manhã o tempo já estava bom. Agora o tempo está predominantemente bom e fazia já várias semanas que não chovia e também começou a soprar o vento que sopra durante as secas como verão passado. Lá onde você está ainda está frio? Algum tempo atrás nós lemos no “Der Compass” que na noite do dia 13 de junho para o dia 14 ai no Rio deu uma grande geada e o gelo foi tanto que foi a 8o.C. negativos e também em outros lugares como São Paulo, Minas, Petrópolis todas atingidas por essa grande onda de frio e grande geada. Realmente aqui nestes dias estava muito frio, mas que deu este frio lá eu tenho lá as minhas dúvidas. Se fosse verdade calcule quantas pessoas teriam morrido de frio.

O milho já terminamos de colher, rendeu 36 carradas, porque agora não usamos mais cavalos para trazer a colheita de milho das roças porque é muito mais difícil. As espigas tinham-se desenvolvido muito bem. As coivaras ainda não começamos a derrubar e nem sei o lugar que vamos derrubar. Na Bukovina este ano não fizemos derrubadas, pois você poderia achar ruim, pois nós tendo tantas capoeiras mais próximas de casa por que ir tão longe na Bukovina. Se ainda conseguíssemos camaradas para trabalhar, seria mais fácil. A fabricação de farinha ainda não terminamos porquê faltou água e também estávamos com muito serviço. Você ainda pode vir ajudar e assim terminaremos antes. Agora a farinha está com bom preço de 18$ a 20$ por saca, Agora tudo aqui está caro, o feijão chegou a 80$ a saca, mas agora baixou um pouco, o toucinho está a 30$ a 36$ a arroba e também as coisas que temos que comprar também estão caras demais. Alguns dizem que Nova Odessa mudou-se para cá porque tudo é caro como lá. – O tempo está muito seco e há pessoas que estão arando a terra para as plantas crescerem melhor – Em Rio Novo um italiano abriu uma venda e também os Karps abriram uma venda na casa nova onde vendem de tudo com exceção de tecidos que ainda não chegaram. e ainda compram todos produtos da lavoura. O Oskar e o Eduard abriram uma companhia e como se houve por ai vai muito bem e que conseguem girar 2.1/2 mil por semana.
Esta semana voltou do Serviço militar o Alex Klavin. Você lembra bem quando ele foi, apesar de serem feitos pedidos de dispensa, quais não deram em nada. Pois teve que ir de qualquer jeito. E quando depois foi a Curitiba onde o Butler é amigo dos grandes homens que tranqüilamente conseguiu a dispensa para ele vir para casa. Ainda não sei se a vinda dele é definitiva ou é uma licença temporária. No meu caso foi mais fácil porque eu não tive que ir porque conversei com o Cascais e consegui a minha liberação. Aproveitei explicar melhor, apesar de já ter escrito uma vez que eu fui sorteada para serviço militar no exército [Os computadores da época consideraram a Lúcia como do sexo masculino], mas acho que aquela carta onde escrevi foi aquela que se extraviou, é uma pena que nesta carta também eu e a Olga escrevemos sobre o Pintcher, o Schimit e o Stroberg e como este povo vive e como agora pouco daquilo eu lembro, em oportunidade que nós nos encontrarmos eu vou te contar.

O Stroberg ainda está na escola e escreve que já consegue conversar em português e que por duas vezes visitou a Igreja de Rio Branco e está muito mais gordo. Os Rio-novenses o liberaram por um ano para aprender a língua e agora todo domingo pedem dinheiro para o seu sustento. Veja como é quando o Stroberg veio à primeira vez o Zeeberg não podia nem ver e agora e o seu melhor amigo. A Igreja melhorou porque não existem tantas rusgas como antes. A Escola Dominical está mais ou menos bem. A classe dos jovens e das jovens ainda existem. Quando o Stroberg estava aqui ele é quem dirigia a Classe das Jovens e quando ele foi embora então a Senhora Beker se prontificou a continuar, mas agora ela não mais dirige porquê ela teve a desavença com a senhora Frischembruder por problemas do Coro e agora não vem mais para a Igreja. Isto acontece às pessoas que procuram a sua própria honra e sempre querem ser mais que a outra.

Ainda muitas e amáveis lembranças do pessoal de Larangeiras. Eles esperam quando voltares não deixar de programar uma demorada visita a todos eles, porquê de você eles não conseguem esquecer.
Bem agora eu vou terminar nem sei se você quer que eu escreva, e se tiver preocupado com aquele aniversário, não preciso pensar mais nisso porquê estes retratos eu perdi. Você poderá me mandar as que você tiver que eu ficarei realmente muito satisfeita.
Você está me devendo a resposta daquela que mandei junto com a carta do Arthur e ainda reitero que realmente não espero suas fotografias e somente os votos de feliz aniversário porquê eu nunca esqueço e eu tenho certeza que também você não me esquece. É pena que a Olga mencionou esta história de fotografias.

Logo no dia 30 vai ser festejada a Festa da Colheita que é em ação de Graças pelas boas colheitas. Você está convidado para participar. Poderá aproveitar que no dia 29 a Ema Slengmamm vai casar com o Adolfo Burmeister. Ela depois de um longo tempo conseguiu pegar um.

Esta semana nós fizemos açúcar, rendeu 4 fornadas, e há pouco tempo o Venis Grichk também fez 4 tachos e o Auge Felberg fez 2 tachos. Então tivemos bastante garapa para tomar.

Porquê não mandas mais nenhuma revista nem jornal?

Ainda muitas lembranças de todos. Lúcia
[escrito nas laterais]
[A minha caligrafia não é lá estas coisas e não sei se você vai conseguir decifrar, e é porque eu não tenho os dedos grã-finos como os teus.].
_____________________________________________________

Aquele Reinis de Leningrado escreveu uma carta e também um cartão postal…De Luzija para Reynaldo Purim – 1925 –

Rio Novo 24-3 25

Querido Irmãozinho!
A tua carta escrita em 20 de fevereiro recebi já há bastante tempo, por ela muito obrigada. E eu estou fazendo do mesmo modo que você, quando não responde imediatamente depois as coisas se acumulam e se gasta muito tempo com tanta coisa para escrever. Realmente não tinha tempo de responder, pois possivelmente você saiba que agora no dia 20 foi o aniversário aqui da Igreja e por isso quase toda noite tínhamos que participar dos ensaios do Coro da Mocidade e também do Coral da Igreja e devido que este ano os ensaios começaram muito tarde foi necessário também alguns durante o dia e assim realmente não sobrou tempo para escrever nada.

Sobre a Festa de Aniversário da Igreja devo informar que naquele dia o tempo estava bom, mas, gente não tinha tanta quanto nos outros anos. Foi servidos o tradicional café com pão doce, etc.. Visitante ilustre foi o representante da Igreja de Varpa, ou melhor, o Pastor Pintcher do “Acampamento” [Início da Colônia Varpa Tupã SP] o qual chegou aqui já no dia 25 de fevereiro junto com o Pastor Stroberg de São Paulo. Sobre o Programa da festa nada excepcional não houve, tudo transcorreu igual as outras festas. O Pastor Pintcher foi o dirigente. O Pastor Stroberg já no dia 11 de março teve que embarcar para reiniciar os seus estudos. Junto com ele tinha vindo um outro moço do “Acampamento” chamado Schmit e esse também foi junto com o Stroberg para a escola em Kuritiba. Interessante quando este moço falava em público ficava com os olhos fechados. Este moço tem a mesma altura do Stroberg. Bem sobre as atividades do Pastor Pintcher e do Schimit escrevo em outra ocasião.

Recentemente recebi uma carta do Tio Ludvig e ele escreve que de boa vontade viria dar um passeio em Rio Novo, mas ele não tem ninguém para deixar em seu lugar. Ele exerce o cargo de Redator do “Deutscher Zeitung”. Ele tem dois auxiliares, mas se forem deixados sós, eles amassariam todos os livros com os pés e assim mesmo o jornal ficaria com as páginas vazias [em branco]. Ele me convida e acha que seria muito melhor eu ir passear em sua casa e que pusesse a mamãe [Lisete Rose Purim – irmã dele] num cesto (balaio) e trouxesse junto, pois de outra maneira ela nunca viria fazer uma visita para ele. Sobre você, ele não pergunta nada, somente ele menciona sobre o filho mais velho dele o Gerds [mais conhecido por Vitor] já está na escola e diz que ele e parecido com você [7 anos de idade] e o outro se chama Rolf e tem um pouco mais de três anos de idade e não tem mais nenhum filho, o endereço dele ainda é o mesmo, Rua Libero Badaró N. 99.

Aquele Reinis [Reinis – Reinolds Purens irmão de Jahnis Purim meu avô – Faltam detalhes deste parente] de Leningrado escreveu uma carta e também um cartão postal, ele conta que no mês de abril ele deverá viajar de volta para a Letônia e depois para o Brasil ou para a África. A mãe dele já faz 10 anos que faleceu e ele está sozinho e ele não mais consegue viver na Rússia. Ele possuía um terreno, mas hoje já não é mais dele. Então vai liquidar todos os bens e vir embora. Também o tio Jekabs [Jekabs Purens outro irmão de Jahnis Purim que foi morar com a família em Varpa Tupã SP.] escreveu que escreveu para o tio Andrejs [Andrejs Purens] outro irmão de Jahnis Purim que nunca veio para o Brasil.Tinha mandado cartas dizendo que tem vontade de algum dia vir para cá também. Nós escrevemos para que ele [Reinis] na medida do possível auxilie o Andrejs e venham todos para cá. Portanto não se assuste se na eventualidade eles apareçam por lá, pois nós também fornecemos o seu endereço para eles.

Nós estamos razoavelmente bem, somente à tosse comprida está nós judiando. Também o Paps [Paps – Jahnis Purins meu avô] ficou acamado com tifo, mas nós outros ainda não tivemos.

O tempo está com a temperatura mais amena e também não chove mais tanto, já parece que o outono está chegando. O milho está amadurando e este ano as espigas estão bem desenvolvidas (grandes).

O Arthurs plantou um trecho de arroz no banhado junto à divisa do terreno com a Nona e este arroz quanto ele, você poderá vir ajudar a cortar. Logo teremos que fazer a farinha de mandioca, pois as mesmas estão com as raízes realmente grandes e água para mover o engenho também há bastante. Nesta semana o Roberts está fazendo novas roscas [Deve ser para os fusos das prensas]. Este ano a farinha está cara 22 a 24 o saco, o toucinho a 40$ a arroba, a banha a 5$500 o quilo, realmente não consigo compreender como os pobres conseguem comer quando tudo está tão caro.

Você sabe se o João Klava já chegou ou chegou a tempo? Nós calculamos que a chegada dele deveria coincidir com aquela catástrofe. [??] Aqueles majestosos prédios da Escola não desmoronaram e o que você estava fazendo nesta ocasião? Aqui o povo está muito assustado com as notícias destas tragédias e os jornais estão cheios delas.

Tens encontrado o Fredi Stekert? Poderias ir procurá-lo, pois a senhora mãe dele está muito preocupada devido que há mais de um ano que não manda nenhuma carta para casa. Jornais ele manda, mas nenhuma linha sobre ele próprio e ela também não sabe onde ele vive nem o seu endereço.

Bem hoje chega, a cabeça está doendo e o sono está chegando, tenho que ir dormir.

Lembranças de todos, os outros também vão escrever. Eu antecipei, pois quero receber a sua resposta também antes sem ter que esperar demais.
Luzija
(Escrito na lateral)
Ainda muitas lembranças do pessoal do Rio Larangeiras. Eles nunca podem te esquecer, você bem que poderia escrever uma carta para eles. O Romão [Romão Fernades meu avô materno] prometeu te escrever, mas não sei se já o fez.

Primeiramente desejo muitas felicidades pela passagem de seu Aniversário. | De Luzija Purim para Reinaldo Purim – 1925 –

Rio Novo 4-1-25
Saudações!

Querido Irmãozinho!!

A tua carta escrita no dia 8 de dezembro e por ela muito obrigada.

Primeiramente desejo muitas felicidades pela passagem do teu aniversário. Se você tivesse mandado alguma lembrancinha no meu aniversário, também eu teria mandado para você, Mas agora deixa como está.

Nós graças a Deus estamos passando suficientemente bem, ontem o tempo foi muito quente. Vieram nuvens e nos costões da serra roncava trovoada. Mas aqui caíram somente algumas gotas. Em outros lugares deu uma boa chuva. Hoje novamente amanheceu quente e logo depois do meio dia começou a ficar nublado e começou roncar trovoada, mas não chegou até aqui. À noite nós fomos a Igreja para um culto de Oração então sim, começou a chover forte.

Semana que vem novamente vamos ter separação e despedidas, pois a Marta Slegmann com o seu irmão Edvard e mais o pastor Stroberg irão para Varpa. O Stroberg, este, vai voltar no próximo mês. Ele está indo para Varpa porque lá ele ainda tem partes da mudança e das suas coisas. Também tem uma gleba de terra. Vai primeiro regularizar tudo para depois voltar. Vai trazer junto uma tia dele que está ainda lá. Também no mês que vem o Strobergs vai para Kuritiba estudar. A igreja aqui recebeu uma carta de Kuritiba, na qual convida para que a Igreja aqui envie um estudante para lá para estudar com a vantagem de obter uma mensalidade reduzida. Como agora o preço e 90 mil réis para ele vão fazer somente 60 m. por mês. Diante desta oferta a igreja resolveu mandar o Stroberg, para que ele possa aprender a língua portuguesa, para possibilitar a pregação também para outras pessoas, porquê os Rio-novenses são suficientemente ricos e todos tem dinheiro para pagar os seus estudos e quando recebem os Graus de “Doutor” [Alguma vaga referência ao Sr. Reynold Purim] eles não querem voltar mais para cá e a Igreja fica novamente sem pastor.

Nós vamos sentir a falta do Stroberg como dirigente da Escola Dominical, pois ele sabia bem dominar as crianças e também a nossa classe vai ficar sem professor, pois até agora era ele quem dirigia, pois a senhora Beker, faz bastante tempo deixou desta função. Também o Gustav Grikis logo vai mudar para as Serras [Urubicí] para morar lá e hoje já declinou do cargo de regente do coro da Igreja. Por ai você pode ver que nós temos os momentos alegres, mas também temos os momentos tristes, mas neste mundo é assim mesmo.

Bem desta vez vou ter que terminar, porquê já é tarde e você sempre manda cartas de somente uma página. Eu me alegro porquê está passando bem e já terminastes o curso na Escola e não está mais amarrado à carteira ou a classe e assim podes respirar mais livremente. Eu sempre oro por você para que com você vá tudo bem. Eu também tenho um forte desejo de aprender mais. Mas onde eu irei conseguir, Estou tentando aprender alguma coisa em brasileiro, bem, mas como eu vou conseguir, pois trabalho na roça o dia inteiro. Em casa tenho que fazer tudo e as forças não são lá tantas assim, para dar conta do recado e ainda achar tempo para estudar alguma coisa.

Ah! Quase ia esquecendo; Hoje recebemos uma carta do Tio Ludwig. Quando aquele senhor Isernhagen esteve de passeio aqui em casa, nós comentamos porque ele não escreve. Então ele levou uma bronca do amigo dele, então rapidamente ele nos escreveu. Ele está muito bem, mas a tia [Helena Rose ] não esta nem doente nem sã, mas falta alguma coisa. Ele mesmo diz que engordou. Ele também convida para que eu vá até lá vai precisar um cavalo muito forte para trazer para cima, [Não está claro, parece que ela pensou que ambos iriam montar o mesmo animal ], pois só ele pesa mais ou menos 100 quilos, eles estão morando naquele mesmo lugar, mas também comprou um pequeno pedaço de terra próximo à cidade por 6 contos e logo está construindo a sua nova casa própria. Então nós todos devemos ir passear na nova casa dele.

Ainda muitas lembranças de todos de casa e que você esteja passando muito bem. Luzija

Você não terá tempo para ler tão longa carta. | De Luzija Purim para Reynaldo Purim – 1924 –

Querido irmãozinho! Saudações!
A tua carta escrita no dia 4 de abril eu recebi no dia 20 e por ela muito obrigado. Eu queria e realmente comecei a responder esta carta na semana passada, mas como o Paps esta se aprontando para ir a cidade e ele disse que não queria levá-la a Estação da Estrada de Ferro, então eu parei de escrever, mesmo que novas notícias não havia. Também os jornais e “O Crisol” chegaram junto com a carta escrita no dia 18 de Abril com a carta dentro.

Nós estamos passando bem, se bem que somente o tempo está muito seco e muito frio. Na semana passada vieram grossas nuvens e na Terça feira choveu um pouquinho e nos outros dias ficou nublado, mas no Sábado de manhã começou a limpar e no Domingo pela manhã nas partes baixas já houve geada.

Nesta semana o tempo está tão limpo que nenhuma nuvenzinha pode ser vista no céu. Admiro que você diz que lá chove até demais e aqui para muita gente está faltando água e aqui para nós na calha corre pouquinho quase pingando e se para frente não chover ai na fonte nós realmente não teremos mais água. Todas as lavouras estão estorricadas e as laranjeiras estão perdendo as folhas. Aqui ainda choveu alguma coisinha então você precisa imaginar em Braço do Norte onde não choveu nada.

Na semana passada chegou o Karlis [Leiman] que veio de Mãe Luzia. Na Quinta feira teve culto em Orleans e na Sexta feira ele subiu para o Rio Novo. Foi para a casa do Zebergs [Os Zebergs moravam noutro vale a leste do Rio Novo] e ainda visitar outros e daí para o Rio Larangeiras e daí veio aqui em casa somente no Domingo pela manhã então devido ao pouco tempo não foi possível completar todos os assuntos em pauta.

O Stroberg também ainda não veio. Ele deverá vir junto com o Salit. É provável que amanhã chegue em Imbituba e aqui os Rio-novenses estão aprontando-se para fazer uma noite de festa de Recepção. Tem muita gente que ele chegue o mais breve possível, será que depois eles mesmos não farão todo possível para que ele vá embora?
No dia 29 de maio, dia da Ascensão do Senhor haverá uma festa da Escola Dominical e no dia 8 de junho nas Oitavas da Festa de Verão [Pentecostes] haverá nova festa de Músicas e Cantos da Mocidade então por esta você já está convidado e traga junto as Uniões de Mocidade e Coros de Jovens de lá.
O que eu esqueci de contar já antes que no dia 26 de março recebemos um telegrama do Augusto Adam contanto que no dia 3 de março o nosso “Grossfaters” [deve ser o Jehkabs Rose] faleceu e o telegrama foi expedito neste mesmo dia. Pela rapidez que veio esta mensagem você pode avaliar a eficiência das comunicações por aqui.

O Link está na Escola este ano? Aqui o Karlis contou que o Missionário Dunstan teria mandado uma carta queixa para o Seminário contra ele e para que não mais o aceite lá porque, ele teria feito uma campanha contra a Associação em Ijuí.
Bem desta vez chega de escrever. Você não terá tempo para ler tão longa carta. Também muitas lembranças do genro do farmacêutico, ele prometeu te escrever.

Mui amáveis lembranças de todos de casa. Pode ser que na próxima vez eles também escrevam. Escreva bastante para mim que ai eu escrevo bastante para você.
Luzija

[ATENÇÃO AMIGOS LEITORES DESTE BLOG : DEVIDO A NOSSA VIAGEM PARA O CONGRESSO DA ASSOCIAÇÂO BATISTA LETA NO BRASIL QUE ESTE ANO SERÁ NA CIDADE DE IJUÍ NO RIO GRANDE DO SUL HAVERÁ UMA BREVE PARADA NA APRESENTAÇÃO DE NOVAS MATÉRIAS. ATÉ IJUÍ PESSOAL]

…e por que não ficou mais tempo aqui. | De Luzija Purim para Reynaldo Purim – 1924

Rio Novo 25-3-24
Querido irmãozinho!! Saudações!
Recebemos a carta escrita em 1-III-24 e também aquela escrita em Imbituba. Muito obrigado por elas. Eu já no dia 29 de fevereiro escrevi uma carta para você. Você já a recebeu?

Nós graças a Deus estamos suficientemente bem.

O que está um tanto irregular é o tempo. Agora está muito seco. Ontem foi muito quente e formaram-se nuvens e ficamos aguardando a esperada chuva e só caíram algumas gotas. A ventania que veio junto empurrou as nuvens embora deixando no rastro muito milho derrubado daquele que tinha sobrevivido a seca. Hoje está novamente um tempo bom e até bem fresco e até parece um dia de outono.
No dia 6 de março prá lá de Orleans, principalmente em Palmeiras[Pindotiba] deu uma grande chuva de granizo. As pedras de gelo eram do tamanho de ovos de galinha e até maiores. Destruiu telhados e vidraças das casas, pessoas, animais, as lavouras. A tempestade durou uns 15 minutos. Naquele dia nós não tivemos nada além de poucas gotas de chuva. Noutro dia choveu, mas muito pouco para as nossas necessidades. Este ano é bastante interessante em alguns lugares chove até demais e outros como aqui está seco demais.

Você quer saber como vai o trabalho em Orleans, Nada de novo não tem acontecido. Parece que não há muitas pessoas muito interessadas naqueles cultos.
Alguém outro, dia, perguntou por que você ficou tão pouco tempo e porque não ficou mais tempo aqui. Eles pensam que você vai mandar alguém outro para ajudar no trabalho aqui.
Aqui no Rio Novo as coisas estão variadas. Na outra vez eu escrevi que o K.Stroberg estaria chegando em Imbituba no dia 12 para trabalhar aqui, mas não chegou. Ele somente mandou uma carta para a Igreja que ele estaria disposto vir para ser pastor da Igreja, mas não evangelista. Diversas pessoas se manifestaram em contrário, pois se ele não pode vir como pastor, de evangelistas há tanta necessidade. Seria muito difícil uma pessoa que não sabe falar em língua brasileira fazer qualquer trabalho evangelístico. Nós precisamos uma pessoa que possa trabalhar para fora, pois muitas portas estão abertas para o trabalho. Assim mesmo a maioria venceu e então estão mandando um telegrama para que ele venha para cá, mas existem muitas dúvidas é o resultado disso tudo só Deus sabe, pois os desencontros de opiniões são demais.
Na quinta feira [Dia 20 de março era o aniversário da Igreja Batista de Rio Novo ] passada foi a festa de aniversário da Igreja. Foi um dia lindo. O que mais tinham eram hinos, músicas e diversas poesias. Saudações de outras Igrejas Batistas Letas sob forma de cartas e por telegrama da Igreja de Ijuy. O que você pensa da Igreja de Nova Odessa veio um mensageiro especial: o próprio Pastor Karlis Kraul e ainda hoje está dirigindo um culto em Orleans. Aqui ele falou na Festa, no culto especial na Sexta feira a noite, no Domingo pela manhã e no culto a noite e ainda mais em um culto especial na Terça feira a noite. A pregação dele muito se assemelha a do Stroberg. Ele também fala sem nenhuma preparação. Ele é um grande orador, mas do texto lido, ele sai embora para longe. Ele é de estatura bastante alta, mas a face bem queimada, parecendo mesmo um brasileiro. Teria muito o que escrever sobre suas mensagens, mas quem consegue descrever tudo.
Há pouco tempo recebemos uma carta da Lilija. Ela brigou comigo porque eu seria igual a você, que fica reclamando do muito trabalho. Ela também escreve que não vai escrever mais para você enquanto você não responder a carta dela. Você bem que poderia mandar uma cartinha, para que a paz volte imediatamente e tudo estará bem.
Como foi a tua viagem no navio? Você foi de primeira ou segunda classe? Quanto custou a passagem? Em Paranáguá você desceu para conversar com o Karlis Leiman ou ele subiu a bordo?
O Link também viajou para o Rio? Como ele passou lá na terra dele? Que trabalho você faz na Escola? Como vai tudo de modo geral?

Bem desta vez deve ser suficiente e o que vou escrever na outra vez e é possível que não tenhas nem tempo para ler. Também recebemos “O Crisol” só que achamos tão vazio. [Crisol é um cadinho para fundir e purificar o ouro. Não se sabe se refere a publicação ou mais no sentido de não ter vindo algum ouro no crisol ]

Aqueles remédios para Mal da Terra [Ancilostomíase] e aqueles livros você já mandou?

Se você escrever tanto quanto eu escrevi será muito bom.
Muitas lembranças de todos de casa e também da Luzija.