…bateu em uma pedra submersa e emborcou. | de Carlos Leiman para Reynaldo Purim – 1923 –

Paranaguá 1 de maio de 1923

 Querido Purim

           Sinceras saudações

 Hoje recebi a tua carta. Obrigado!

 Vou tentar responder a tua carta porquê amanhã eu preciso viajar e ai não terei mais tempo para isso.

 Alegro-me pelas tuas atividade e trabalhos e todos os sucessos. Tu dizes que já são 3 anos de trabalho. E são só 3 anos?

Semana passada tivemos um Instituto Bíblico na Igreja de Assungui qual se desenvolveu muito bem. No Sábado saímos de viagem para Itaqui, onde tínhamos mais trabalho e quando quase estávamos chegando o barco que vinha atrás trazendo a bagagem e outras pessoas entre eles o Dr. Marques bateu em uma pedra submersa e emborcou. Houve muita reclamação por parte das pessoas menos acostumadas. Juntamos o que foi possível. Secamos a roupa e às 12 horas da noite (meia noite) chegamos em casa, todos molhados. Amanhã ou depois de amanhã irei viajar para lá outra vez.

Dr. Marques no mês de junho vai embora de volta. Não deu certo para a pessoa. Queria se tornar Diretor da Escola. Mas está ainda na incubadora. O Berry vai ser o Diretor. Nós o elegemos como Secretário Correspondente então ele veio morar aqui. Lá em Curitiba alguém tinha o chamado de negro. Não aceita conselhos e não conhece a vida no mato. Como líder de Igrejas não tem experiência nenhuma. Quer morar aqui com aquele conforto e pose como estivesse no Rio. Ai quis se arvorar como um dirigente ou comandante, mas não tinha ninguém para mandar. Então deu em nada. Esqueceu o seu cargo de Secretário Correspondente. Vai embora. Vamos ver como vai ficar.

O Abrahão está em Ponta Grossa e muito feroz comigo porquê eu teria minimizado a administração dele. [Parece que este Carlos Leimann não era muito afeito à burocracia]. E assim cada um ficando em seu canto e fazendo o que quer.

 Se começar o trabalho em Sta. Catharina seria bem diferente. Se a Junta patrocinar poderíamos fazer um programa que cada um fizesse o seu trabalho  até que se pudesse organizar a Convenção. Se vier alguém para começar e dirigir eu estou pronto para ir em seu auxílio. Sozinho não quero ir – medo.

Com abraço fraternal. Seu como sempre Carlos Leiman

 

Acho que aquele lugar espera por você. | De Carlos Leiman para Reynaldo Purim – 1923

Paranaguá 29 de março 1923

Querido Reini

Saudações!

A tua grande carta recebi junto com os demais folhetos e programas. Muito obrigado!

Apresso-me a compartilhar a alegria de tua ordenação ao ministério pastoral que será o seu sacerdócio e faço votos que o bom Deus o cubra de suas ricas bênçãos o teu trabalho e que sempre consiga as vitórias até o momento final sejas sempre vencedor!

Por aqui a vida vai correndo pelos mesmos trilhos. Tudo, a mesma coisa. Alguns dias mais quentes. Outros dias chove aquele temporal de chuva grossa. O trabalho sempre é o mesmo. As pessoas são as mesmas e com os mesmos costumes.
Os trabalhos cotidianos aumentam e as forças começam a se desgastar. Por enquanto estou amarrado ao trabalho da escola aqui. Estou pensando em deixá-la, pois acho não ser o meu trabalho principal.
Assim mesmo tenho trabalho demais. O Dr. Marques [?] agora veio para cá e instalou-se para morar aqui em Paranaguá e logo ficou adoentando e um tanto desanimado. O Deter sozinho com suas muletas está construindo o novo templo da Igreja lá em Kuritiba. O Abrahão [Abrahão José de Oliveira pastor e professor muito conhecido na época no Paraná] mudou-se e foi trabalhar em Ponta Grossa. A parte desagradável e que todos querem dar uma de grandes senhores. Com exceção do Deter todos querem ser muito inteligentes e espertos [demais] e todos querem mandar e dirigir, mas pegar no trabalho ai não. Contar vantagens, isto sim. Este foi o motivo de nosso desentendimento com o Abrahão aqui. Ele usou toda a sua inteligência porque queria certas vantagens que a Igreja aqui devido a seu modo arrogante não concordou.

Alguns concordam com o modo de trabalho do Abrahão. O Pastor Butler trata todos muito bem àqueles que o cumprimentam tirando o chapéu. Mas ajudar que é bom não tem ajudado.

O Marques não têm tido muito êxito e oportunidades para mostrar serviço. Ele tem tentado ser duro e manter os seus patrícios na linha dura o que não é nada fácil. Ele não conhece o trabalho. Vai ser muito difícil para ele que nada. Não conhece o sertão, onde a maioria das pessoas vive.

Conselhos ou “combinações” ele não aceita a não ser do Abrahão e ainda assim mesmo se sente humilhado porque ele é o Secretário Correspondente da Convenção e sendo assim é autoridade. O tempo dirá quem tem razão. Gostaria dar a direção da Igreja para ele que é o seu desejo.

Quem sabe por algum ciúme da nossa popularidade. Mas a Igreja não quer e assim então o maior trabalho sobra para mim, sem que eu saiba como e sem o apoio necessário para levar a cabo. O que falta aqui é liderança.

Estou planejando se possível até maio ir até o Rio de Janeiro e também a outros lugares da terra de São Sebastião. Quero ir até a Chautauqua [Era um Acampamento Anual das lideranças das Igrejas Batistas no Rio de Janeiro]. Você não quer clarear os teus pensamentos e vir passar as férias de junho para cá?
Purim – Não sei os teus planos daqui para frente e nem qual o campo de trabalho você vai escolher. Não queria ser palpiteiro, mas simplesmente sugerir um campo muito necessitado que é o Estado de Santa Catharina que espera e faz muito tempo por pessoas que abram novos trabalhos neste Estado. Penso poder conseguir recursos para abrir um trabalho em Florianópolis. – Abrir uma boa escola e assim começar o trabalho. Acho que aquele lugar espera por você.

O Penno prometeu, mas fugiu. O que pensa você. Trabalhar aqui não é nada monótono porque entre estes invejosos, quais nada fazem e não conseguem divisar novas oportunidades. Não quero atrapalhar ninguém aqui. Pensei de ir para Sta. Catharina, mas não queria ir só. Mas, queria um na direção central e eu estaria pronto para ajudar e trabalhar onde fosse mais necessário.

Escreva bastante principalmente sobre este assunto. Do Rio Novo não sei de nada. O Arthurs também foi ordenado e no dia 10 de abril vai ser o casamento dele.
Com sinceras saudações
Vosso
Carlos Leimann