Reynaldo Purim



Reynaldo Purim, aqui com cerca de 23 anos. O jovem Reynaldo, que em 1917 deixou a Colônia para estudar no Seminário Batista do Rio de Janeiro, é o destinatário de praticamente todas as cartas arquivadas neste blog.

Anúncios

Missões Nacionais | Olga Purim a Reynaldo Purim

Rio Novo 25-3-17

Querido irmão,

Recebi as tuas cartas escritas em São Paulo no dia 9 de março para mim e para o Papai. Muito obrigada mesmo. Você não imagina como essas linhas com as notícias que você escreveu nos tranqüilizaram, principalmente saber que você chegou bem ao final de sua viagem.

Você menciona que enviou cartões postais de Paranaguá, mas estes até agora não chegaram. No dia 3 de março o Robert [Klavin] trouxe do Correio [de Orleans] seis fotografias do Ludi1, que talvez você já tivesses visto. Numa aparece o tio Ludi com a noiva, noutra ele sozinho, na terceira ele com os cunhados, e em outra ele com a falecida Olga. Assim pude admirar tanto o tio quanto a tia bem demoradamente, pois ele de fato está muito diferente de antigamente. Ele escreve que mudou completamente o seu temperamento, que mantém a serenidade, mas raramente sorri. Fiquei olhando e admirando nossa tia e tentando avaliar se ela é uma dama, se se veste na “moda” e como realmente ela é.

Você poderia descrever mais sobre São Paulo. Você esteve na casa de Emilija e onde largou aquela caixa dela? Bem pouco tempo atrás recebi a tua carta que veio junto daquela do A.B. Deter2 que tinha sido escrita para a Igreja. Esta eu entreguei para o Robert [Klavin]. Ele escreve que até agora não pôde vir a Santa Catharina por falta de tempo e muito trabalho, mas talvez, logo que puder, deverá programar uma visita. Também pede que seja feita uma coleta para Missões Nacionais. A igreja concordou em atender o seu pedido e esta será feita no dia da Páscoa, e quanto vai render eu escrevo depois. Nenhuma outra coisa importante tem acontecido em nossa igreja3.

Quanto ao Rio Novo, a novidade é que a escola voltou a funcionar todos os dias da semana. Está com 12 alunos e o professor é o Jahnis4 de Riga, e a mensalidade por aluno é 2$000. Quanto aos bens da falecida Martinson, ainda continuam sem solução. Quanto eu sei, o dinheiro que ela determinou que fosse entregue para “a Missão” foi preciso o Sr. [Juris] Frischembruder levar a Tubarão (o ouro ficou para o Ernesto) e entregar ao Juiz; este vai depositar em um banco, enquanto procura eventuais herdeiros.

Sobre as comemorações do Jubileu do Rio Novo5: quanto a isso pouco teria o que escrever, mas todos dias acontecem coisas de que tudo mundo fica escandalizado. As festas deles você conhece bem, mas agora parece que foram além. Convidaram também os membros de nossa igreja com convites em cartão cor de rosa. Mas dos nossos só foram o Arnolds e Wilis Klavin, o Wilis, o Ernests, a Emma, a Lonija dos Slengman e mais alguns dos Paegles.

Hoje veio fazer-nos uma visita a Sra. Grunski e começou contar as novidades e as ”maravilhas” da Festa, e assim houve muita coisa para se ouvir. Disse que pela primeira vez na sua vida tinha visto um “Teatro Batista”. O programa começou às 11 horas da manhã e terminou às 4 da tarde. Tinha sido trazida a Banda de Música de Orleans. Há pessoas que dizem que eles vieram de graça, mas outros falam que foram pagos 50$000 para que viessem. Nem mesmo os jovens que tocam instrumentos na igreja participaram. Foi bem diferente das festas antigas, que começavam com hinos e orações. Desta vez começaram com valsas, e todas músicas apresentadas eram de dança.

Você sabe aquela bodega lá em baixo do Rio Novo? Pois é, o italiano pegou um garrafão com pinga e outro com vinho e veio se esconder na capoeira do Lövenstein. Naquele dia foi fácil, pois naquele dia ele teria vendido 25 garrafas entre pinga, vinho e outras misturas. À noite na frente da porta da igreja a rapaziada bêbada começou a brigar com tamancos e lá dentro o pastor com palavras. A Sra. Frischembruder quase desmaiou, chamando “meu Jahnis, meu Jahnis”, e isto nada tem de jubileu.

No final o Pastor Butlers6 teria dito que se continuar assim teria que chamar um advogado. Mas sobre o Rio Novo chega.

Eu ainda gostaria de saber como o Tio Ludi te reconheceu. E pelo Fater ele nada perguntou? E de nós outros também não? Como tens levado a tua caixa de coisas? Aquele mel não azedou quando você chegou no fim da viagem? Tens encontrado o Inkis? Aqui corre um papo de que o Inkis de Riga7 virá para o Brasil.

Escreva como tens passado, como estás vivendo. Onde dormes e o que comes. Tudo eu gostaria de saber. Conosco não há necessidade de se preocupar pois estamos vivendo como sempre. Bem, minha carta já está escrita, mas quando poderei levar a Orleans não sei, porque está chovendo torrencialmente.

Desejamos a você uma alegre e feliz Páscoa. Que o Senhor Jesus te guie e guarde sempre.

Com amáveis saudações,

Olga

* * *

1. Ludi, Ludis ou Ludwig era o mesmo Ludvig Rose – Pronuncia-se “Ruose”.
2. A. B. Deter, missionário batista norte-americano que trabalhou no Paraná e em Santa Catarina.
3. Nossa igreja, Igreja Batista em Rodeio do Assucar – localidade próxima ao Rio Novo, entre a Invernada-Barracão e Rodeio das Antas. Ali moravam, entre outros, os Leiman.
4. Jahnis Frischembruder? Este João Frischembruder (marido da Austra?) foi um professor importado da Letônia para ser professor da Escola de Rio Novo. Era primo do Juris e dos demais Frischembruders de Rio Novo e de Mãe Luzia.
5. Jubileu. Aniversário de 25 anos da fundação da Igreja Batista Leta de Rio Novo.
6. Willis Butler, pastor e professor da escola anexa à Igreja Batista de Rio Novo. Professor no Colégio Batista do Rio de Janeiro e do Seminário Teológico do Sul do Brasil do Rio de Janeiro. Professor de diversas instituições superiores e outras de ensino em Curitiba. Foi também pastor da Primeira Igreja de Curitiba.
7. João Inkis Senior, grande líder batista na Letônia. Já tinha estado no Rio Novo em 1897.

A Álgebra de F.I.C. | Carlos Leiman a Reynaldo Purim

Cachoeiro do Itapemirim, 15-03-17

Querido Reini1,

Alegro-me de coração por você já estar tão longe a frente e quanto ao mais Deus proverá. Ordena ao Senhor o teu caminho e espera N’Ele e Ele tudo fará.

Reini, sei que está novo e tudo aí é desconhecido, mas quero e preciso pedir um grande favor, que é comprar uma Álgebra de F.I.C. (pelo Dr. Eugenio de Barros Raja Gabaglia) de algum colega ou pedir a algum colega para dar um passeio e aproveitar procurar nas grandes livrarias onde deve haver.

Outra opção seria conseguir nos sebos, será melhor, e a importância em dinheiro mando através da Casa Publicadora Batista para não dar mais trabalho para você. Ainda para complicar eu tenho pressa; se pudesse fazer isso tudo até segunda-feira 19 ou 20 seria ótimo.

Carlos Leiman

Para outros assuntos não tenho tempo.

* * *

1. Reini, o mesmo que Reynaldo. Às vezes aparece como Reynold, Reinholdo e outras variações.

5 mil réis | Oscar Carp a Axel Anderssen

Rio Novo, 18-2-1917

Ilmo. Sr. Axel Frederico Anderssen

Prezado Irmão,

Está em meu poder sua estimada carta. Fico muito agradecido por muitas boas notícias. Estou muito alegre que o irmão poderá voltar para o Rio e continuar os estudos. Eu ainda não tenho certeza si poderei ir, pois o meu irmão está em Curitiba. Mesmo se eu irei, irei só no mês de Abril.

O portador desta é o irmão Reinholdo Purim1. Elle é um moço muito inteligente e activo e tem boa cabeça para aprender. Acho que elle poderá acompanhar as aulas do 1º anno e estou certo que elle será o primeiro da classe.

Junto a esta carta boto 5$000. O irmão pode ficar com 2$500 e os outros 2$500 o irmão pode fazer o favor de entregar ao irmão Julio Tamerik porque quando vim embora emprestei delle 2$000. Fico obrigado por sua bondade, pois cheguei em casa com $300 reis. Agora enquanto eu não estou lá o irmão pode usar o meu travesseiro si tem necessidade. Estou passando uma vida muito boa.

Desejo-lhe feliz ano novo e que o irmão possa estudar bastante. Sem mais nada por hoje.

Sou seu irmão em Jesus,

Oscar Carp2

* * *

1. Reynaldo Purim. Nascido em Rio Novo em 1898, em 1917 foi estudar no Colégio Batista do Rio de Janeiro. Mais tarde fez Mestrado em Teologia e Doutorado em Filosofia no Seminário Teológico de Louisville, Kentucky, USA. Nos seus 60 anos de ministério evangélico e magistério foi pastor de 5 igrejas; como professor, lecionou em 8 colégios seculares no Rio. Lecionou 16 matérias em 2 seminários.
2. Oscar Karp, filho do pioneiro Fritz Karp. Pessoa de grandes qualidades morais, pai de uma família exemplar, viveu mais de 100 anos.