…mas este ano foi uma festa molhada devido a muita chuva | De Olga Purim para Reynaldo Purim 1922

[Cartão Postal conforme o carimbo postal recebido no Rio em 19/06/1922 com a mensagem incompleta]

….. Então ainda isso, mais aquilo. No dia 21 de maio o Karlis [Leiman] esteve em Tubarão onde houve uma Festa de Batismos, pois o Sr. Oscar de Oliveira e sua esposa foram batizados e talvez você já tenha lido esta notícia no “O Baptista” [um jornal batista do campo Paraná/Santa Catarina] onde apareceram notícias de Tubarão. No dia 28 de maio em Rio Novo também houve Festas de Batismos quando foram batizados os seguintes: Willis Klavin, Willis Slengmann, Eduardo Karklin, Adolfo e Alfredo Burmeister, Karlis Leepkaln, Harri Feldberg, Hulda Maisin, Leontina Toppel e os nossos Luzija e Arthur [Purim]. Naquele dia o tempo estava muito bom e ainda assim continua.

A primeira geada aconteceu no dia 10 de maio, mas grandes ainda não houveram, mas já aparecem plantas aqui e acolá sapecadas pelo frio. –

No dia da Ascensão do Senhor houve uma Festa na Igreja, que nesta época sempre são de grandes geadas, mas este ano foi uma festa molhada devido a muita chuva. A festa na parte da manhã foi dirigida pelo Karlis e ao meio dia o costumeiro lanche com café com leite e pela tarde a parte social.

O Alexandre Klavin [Era professor no Rio de Janeiro] tinha chegado de Nova Odessa e com ele veio como companheiro o Robert Kreeplin para conhecer o Rio Novo. O Konrad Frischembruder viajou para São Paulo. Amanhã o Karlis vai embora. Ele precisava viajar antes, mas como ele ficou esperando o Fritz, [Leiman], mas este chegou no sábado passado a noite.

Então assim nós tivemos a oportunidade de ter visto e conversado com todos os filhos do Leimann este ano. Bem agora chega pois eu não tenho espaço para me adentrar para mais novidades.

Com lembranças de todos. Olga.

Como fazíamos todos os domingos | Artur Purim a Reynaldo Purim

Rio Novo, 9-11-19

Querido irmãozinho!

Recebi a tua carta de 17-10-19. Obrigado! Eu estou bem. Para a escola este mês não fui mais por falta de tempo e muito serviço. Neste mês de outubro chovia tanto que nas roças não era possível fazer nada; como agora estamos com muito serviço, agora irei para a escola outra vez só depois do ano novo.

Tu queres saber a minha altura, é simples: é só olhar para você. Estou calçando o número 42 e poderei emprestar os meus sapatos para você. Poderá vir chupar laranjas, pois ainda tem bastante. Logo acima de nossa casa tem doze laranjeiras e em cinco ainda tem frutas. A figueira [kuplais koks, no original em leto] está bem maior e bem mais alta, mas está um pouco abandonada. Ninguém fica subindo nela como antigamente fazíamos todos os domingos, para brincar e ver quem subia mais alto. Há pouco tempo veio o Augusto Klavim e nós subimos nela, mas nossa festa durou pouco porque vinha um temporal e tivemos que fugir para casa.

No nosso jardim temos muitas flores. As rosas, os lilases e os dois jasmins [gardênias] estão cheios de flores. As espirradeiras [oleandro] estão grandes árvores. Aquela mirtácea que você trouxe do mato também está alta; bem mais alta que você, e com certeza passa por cima de sua cabeça. Você mesmo poderá ver quando vier!

Agora temos 67 colméias, contando com as novas que apanhamos em enxames. Este ano têm saído muitos e grandes enxames. No sábado passado tiramos mel de oito colméias e renderam três latas. Ano passado de vinte colméias foi tirada só ½ lata. Este ano vamos tirar muito mel. Vamos ter que tirar de mais de 40 caixas, e se você vier poderá ajudar e comer muito mel, e também levar junto. Eu tenho medo de abelhas e nem chego nem perto. A Olga é que tem que ajudar o Pappa e levou tantas picadas que no sábado passado não podia nem caminhar.

Quando vier para casa, traga um novo Cantor [hinário] para a Luzija. Chega! Tenho que ir dormir. Com muitas lembranças,

Arturs [Otto Roberto Purim. Faltava um mês para que ele completasse 14 anos]