Estou definitivamente resolvido mudar-me para Laguna…| De Carlos Leimann para Reynaldo Purim -1924

Carta manuscrita em Português e copiada sem correções

Paranaguá 16 de Agosto 1924

Prezado Irmão Reynaldo

Hontem recebi a sua cartinha sinceramente grato.
Quinta feira cheguei da minha ultima viagem e hoje sigo para outro lado – Quanto o meu trabalho durante os dias deste mez visitei 14 diferentes lugares, preguei 22 sermões, 21 reunião de oração 4 visitas particulares – viajando de motorista na lancha, pois esta por minha conta,, tem feito eu derramar suor , enquanto outros tremem de frio- nas egrejas o trabalho está se firmamento este anno tem havido muitas brigas e eliminações e poucos baptismos, ainda há alguns casos a resolver – Cascão, por dar muito escândalo à causa , as Egrejas prohibiram pregar por algum tempo –Deter amparando-o incondicionalmente mandou a Rio Branco, Joinville, creio que mudar-se-há para lá – Estou definitivamente resolvido a mudar-me para Laguna até principio de Outubro, ou então para fora deste campo-

Do Smith nada sei absulutamente – Aqui tem feito muito frio – Estou cansado, contipado , aborrecido

Estou de viagem – Até outra vez

Seu irmão e amigo
Carlos Leiman

Do Rio Novo nada sei

Anúncios

Outros aguardam aquela montanha de bênçãos com impaciência. | De Carlos Leiman para Reynaldo Purim -1924

[O nosso blog voltando as atividades depois de uma muito boa viagem ao Congresso da Associação Batista Leta do Brasil na bela cidade de Ijuí no RGS.]

Imbituba 1 de maio de 1924
Querido Reinhold
Saudações!
Como podes ver eu estou de viagem já há vários dias. Estive em Mãe Luzia, Cabeçuda, Braço do Norte, Orleans, Rio Novo, Lauro Müller e agora estou aguardando navio para São Francisco.
Estive adoentado quase todo o tempo. Em Mãe Luzia vai tudo muito bem. Todos lembram de você com alegria porque o teu trabalho deixou profundas impressões. Também em Cabeçudas, Braço do Norte e em Rio Novo com alguns. No Rio Novo aquela sopa.[Mistura de idéias, Confronto de idéias] O Seebergs foi excluído da Igreja. O Pastor Kraul acudiu alguns.
Outros aguardam aquela montanha de bênçãos com impaciência. O Sahlits declarou-se publicamente renovacionista, e ainda esta em São Paulo. Estive em Rio Novo no Sábado e no Domingo. Algumas pessoas deixaram escapar que pastores demais estão visitando.
O Rodolfo e o Karlis Anderman estiveram no Rio Novo durante a Páscoa. Fizeram cultos nas casas dos Paegles, na do Karps e na do Match. Falaram línguas estranhas! —–
Estou cansado e realmente fatigado. Até aonde eu deverei ir? —– Ouço boatos que o Shepard não voltará para o Brasil e o Schmits vai ficar no lugar dele? Você sabe algo sobre isso?
Estou escrevendo para ele com a esperança de logo poder mudar para cá. Escreva contando como vais e sobre o que estás fazendo.
O que sabes sobre o Schmitd? Escreva para Paranaguá.
Espero em junho ir até o Rio, mas Deus é quem sabe.
Com sinceras saudações
Carlos Leiman

O Deter agora está doente. | De Carlos Leiman para Reynaldo Purim – 1924 –

Paranaguá 24 de janeiro de 1924

Querido Purim

Saudações

Recebi a tua carta, obrigado.
Hoje chegou (de navio) e hoje saiu (de trem) o Pastor Marques e a família.
Agora mesmo estava aprontando o material para a nossa Conferência anual. Terei que fazer um relatório o trabalho aqui está muito bom, novos campos de trabalho, gente com muita boa vontade e prontos para colaborar. Somente não temos gente qualificada que possa ajudar.
O Deter agora está doente. Contam que ele está de muletas. Ele trabalha demais. Todas as providências mesmo delegadas a outras pessoas, ele acompanha e trabalha junto como qualquer companheiro de luta, sem qualquer preconceito qual seja a tarefa.
Os planejadores querem que eu vá para Tubarão. Eu não quero ir. Não sei no que vai dar.
Saudações
teu Carlos Leimann

Os nomes deles (dos navios) são: Itaipava, Itaituba e Itaperuna. | De Carlos Leiman para Reynaldo Purim – 1923

Paranaguá 13 de novembro de 1923
Caro Purim
Saudações!
Sei que você está muito ocupado com trabalho e estudos e ainda se aprontando para os exames finais e estou pensando que logo você vai se mandar de viagem para este lado.
Como ainda estarei em Paranaguá. Quando passares por aqui gostaria que me avisasse em que navio tu virás.
Os melhores que vão para Imbituba são os da “Companhia Nacional de Navegação Costeira” e estes navios levantam ferros no Rio nos dias 8, 18 e 28 todo mês. Os nomes deles são: Itaipava, Itaituba e Itaperuna.
Gostaria de encontrar com você e conversar sobre diversos assuntos que estou planejando, já no mês que vem, ir embora, mas não tenho certeza se vai dar certo. São tantos os obstáculos e tanto trabalho.
Na semana que vem espero viajar até Joinville e possivelmente organizar uma nova igreja.
Espero a informação para poder me encontrar com o navio que sai do Rio dia 28 ou dia 8.
Com muitas lembranças
Carlos Leiman

Acho que aquele lugar espera por você. | De Carlos Leiman para Reynaldo Purim – 1923

Paranaguá 29 de março 1923

Querido Reini

Saudações!

A tua grande carta recebi junto com os demais folhetos e programas. Muito obrigado!

Apresso-me a compartilhar a alegria de tua ordenação ao ministério pastoral que será o seu sacerdócio e faço votos que o bom Deus o cubra de suas ricas bênçãos o teu trabalho e que sempre consiga as vitórias até o momento final sejas sempre vencedor!

Por aqui a vida vai correndo pelos mesmos trilhos. Tudo, a mesma coisa. Alguns dias mais quentes. Outros dias chove aquele temporal de chuva grossa. O trabalho sempre é o mesmo. As pessoas são as mesmas e com os mesmos costumes.
Os trabalhos cotidianos aumentam e as forças começam a se desgastar. Por enquanto estou amarrado ao trabalho da escola aqui. Estou pensando em deixá-la, pois acho não ser o meu trabalho principal.
Assim mesmo tenho trabalho demais. O Dr. Marques [?] agora veio para cá e instalou-se para morar aqui em Paranaguá e logo ficou adoentando e um tanto desanimado. O Deter sozinho com suas muletas está construindo o novo templo da Igreja lá em Kuritiba. O Abrahão [Abrahão José de Oliveira pastor e professor muito conhecido na época no Paraná] mudou-se e foi trabalhar em Ponta Grossa. A parte desagradável e que todos querem dar uma de grandes senhores. Com exceção do Deter todos querem ser muito inteligentes e espertos [demais] e todos querem mandar e dirigir, mas pegar no trabalho ai não. Contar vantagens, isto sim. Este foi o motivo de nosso desentendimento com o Abrahão aqui. Ele usou toda a sua inteligência porque queria certas vantagens que a Igreja aqui devido a seu modo arrogante não concordou.

Alguns concordam com o modo de trabalho do Abrahão. O Pastor Butler trata todos muito bem àqueles que o cumprimentam tirando o chapéu. Mas ajudar que é bom não tem ajudado.

O Marques não têm tido muito êxito e oportunidades para mostrar serviço. Ele tem tentado ser duro e manter os seus patrícios na linha dura o que não é nada fácil. Ele não conhece o trabalho. Vai ser muito difícil para ele que nada. Não conhece o sertão, onde a maioria das pessoas vive.

Conselhos ou “combinações” ele não aceita a não ser do Abrahão e ainda assim mesmo se sente humilhado porque ele é o Secretário Correspondente da Convenção e sendo assim é autoridade. O tempo dirá quem tem razão. Gostaria dar a direção da Igreja para ele que é o seu desejo.

Quem sabe por algum ciúme da nossa popularidade. Mas a Igreja não quer e assim então o maior trabalho sobra para mim, sem que eu saiba como e sem o apoio necessário para levar a cabo. O que falta aqui é liderança.

Estou planejando se possível até maio ir até o Rio de Janeiro e também a outros lugares da terra de São Sebastião. Quero ir até a Chautauqua [Era um Acampamento Anual das lideranças das Igrejas Batistas no Rio de Janeiro]. Você não quer clarear os teus pensamentos e vir passar as férias de junho para cá?
Purim – Não sei os teus planos daqui para frente e nem qual o campo de trabalho você vai escolher. Não queria ser palpiteiro, mas simplesmente sugerir um campo muito necessitado que é o Estado de Santa Catharina que espera e faz muito tempo por pessoas que abram novos trabalhos neste Estado. Penso poder conseguir recursos para abrir um trabalho em Florianópolis. – Abrir uma boa escola e assim começar o trabalho. Acho que aquele lugar espera por você.

O Penno prometeu, mas fugiu. O que pensa você. Trabalhar aqui não é nada monótono porque entre estes invejosos, quais nada fazem e não conseguem divisar novas oportunidades. Não quero atrapalhar ninguém aqui. Pensei de ir para Sta. Catharina, mas não queria ir só. Mas, queria um na direção central e eu estaria pronto para ajudar e trabalhar onde fosse mais necessário.

Escreva bastante principalmente sobre este assunto. Do Rio Novo não sei de nada. O Arthurs também foi ordenado e no dia 10 de abril vai ser o casamento dele.
Com sinceras saudações
Vosso
Carlos Leimann