…mas hoje a noite está relampejando e roncando trovoada que faz tremer a casa e as vidraças… | De Lucija Purim para Reynaldo Purim – 1928 –

9 de maio de 1928

Querido irmãozinho. Saudações!
Mesmo que eu nada de você tenha recebido, assim mesmo alguma coisa tenho que te escrever para contar como nós estamos passando agora. No mês passado mandei pra você uma longa carta com fotografias anexas e espero que já tenham chegado lá.
O tempo aqui está sempre chuvoso e bastante quente e quando por alguns dias brilha o sol então volta à chuva. Na terça feira da semana passada soprou um vento frio muito forte quando trouxe uma chuva muito forte que perdurou ao outro dia inteiro e fez que os rios e riachos subissem tanto o nível que pareciam aquelas enchentes que aconteceram quando você viajou a primeira vez para ir pra a Escola no Rio. Depois daquela vez não tinha acontecido nenhuma vez que os rios estavam tão cheios como foi na semana passada causando tantos prejuízos. Agora houve uns dias claros, mas hoje a noite está relampejando e roncando trovoada que faz tremer toda casa e as vidraças e agora está começando a chover.

Agora a nossa casa parece que está mais escura e mais triste porque o Arthur foi embora no dia 27 de abril para servir o Exército porque ele tinha que ir. Ele faz bastante tempo que tinha sido sorteado para ir, mas nós falamos com o José Superintendente e ele prometeu que iria dar um jeito para ele não ir e tínhamos esperança que ele desse um jeito, mas nada. No dia 23 de agosto o Superintendente viu o Arthur na rua e disse que deveria se apresentar na sexta feira. Ele esperava ganhar um bom dinheiro, mas nós não demos nada antes, se ele tivesse conseguido ai sim nós daríamos dinheiro pra ele, mas agora não damos nada pra ele.

Sentimos muito a separação, mas fazer o que se é preciso ir tem que ir, se bem que em casa a falta dele é muito grande. Não tem quem dirija os bois, não têm quem ajude colher as roças, agora eu tenho muito mais serviço e mais pesado porque o Papai não pode fazer muito, pois ele não é mais tão forte como era antes. Mas o que fazer, teremos que aguentar mesmo que seja mais difícil.

Para onde o Arthur viajou eu ainda não sei. Daqui de Orleans ele foi para Florianópolis, mas para frente eu não sei. Aqui eles falaram que ele iria para Curitiba ou para Ponta Grossa, mas não temos mais notícias dele.
Agora está na hora de você voltar para casa para nos ajudar porque você ficou muito tempo fora.
Desta vez chega, noutra vez escrevo mais.
Lembranças do Papai, da Mamma e minhas.
Lucija

Nós te saudamos em Nome do Nosso Senhor Jesús Cristo…….| De Jehkabs Purens para Reynaldo Purim -1925 –

[Carta do Tio Jekabs Purens para Reynaldo Purim sem indicação do ano, mas pelo contexto parece ser de 1925].

Nova Odessa, 20ºdia de junho

Querido Reinhold. Nós sinceramente te saudamos em nome do Nosso Senhor Jesus Cristo e que a Paz esteja convosco e abençoe a quem te abençoa e se alegre aquele que te faz alegre e feliz se torne àquele que te faz feliz. E aquele que te entristece que o mesmo seja entristecido.

A tua carta que você escreveu no dia 20 de maio não tive oportunidade de responder imediatamente porquê naquela semana chegaram uma enchente de cartas. Algumas da Letônia na Europa, também do Rio Grande do Sul e ainda da Colônia Varpa. Então depois de acumuladas comecei a responder por ordem de chegada e agora esta noite chegou à vez de responder a sua carta.

Você quer saber sobre aquela medida agrária usada aqui que é o Alqueire. Essa medida aqui é calculada assim: um terreno com 100 metros de largura e 200 metros de comprimento (fundos). E se o terreno for quadrangular então cada face deverá ter 150 metros. Este é o alqueire usado aqui.

Você quer saber qual é o custo do arrendamento, então é assim: por cada alqueire custa 118 mil réis e como nós temos 9 alqueires custa no total uma quantia de 1.062 mil réis por ano. Você ainda pergunta se neste terreno existem casa ou alguma habitação. Não, não existe nenhuma, queremos nós mesmos trazer os tijolos e construir porquê isto nós sabemos bem.

Então ainda você pergunta se nós gostamos da vida aqui no Brasil. Sim. Até agora estou muito satisfeito e para mim como pessoa de idade o calor daqui é realmente agradável e agora estamos muitos bem, todos com boa saúde, podemos trabalhar e neste verão passado temos ganho dinheiro, mais de um conto de réis e ainda no pagamento muitas peças (pedaços) de tecidos, também os patrões, donos das lavouras onde os meus familiares trabalharam deram 1/2 alqueire para que nós plantássemos para o consumo próprio, então plantamos arroz e milho e agora no outono colhemos o suficiente para passar até o próximo ano. Então eu levantei os meus olhos e minhas mãos para o céu agradecendo ao Pai do Nosso Senhor Jesus Cristo pela sua infinita misericórdia que aos tristes ele alegra e aos pobres estende a sua mão poderosa dando o seu sustento e assim sinto premiado e que seja Louvado o Cordeiro de Deus eternamente porquê ele dá aos que oram pedindo em nome Dele e assim tem feito.

Agora uma palavrinha sobre a vida espiritual de nossa igreja aqui em Nova Odessa. A Igreja é bem grande e o Pastor é um recém chegado da Letônia o Irmão Kraul, porta voz da renovação espiritual e de um reavivamento bíblico sincero, confiável servo do Senhor Jesus Cristo, esforça-se para cumprir de todo coração a tarefa que lhe foi confiada e trabalha diligentemente para trazer almas para o aprisco do Senhor, este ano foram poucos os batismos se não me engano foram somente 8 pessoas e para uma Igreja tão grande realmente os frutos foram muito poucos, mas nós temos que dar graças a Deus por estes também. A Escola Dominical tem bastantes crianças e um grande contingente de professores que gastam o seu tempo ensinando dominicalmente. Uma grande União de Mocidade com suas reuniões e durante a semana os Estudos Bíblicos, as Reuniões de apresentações diversas e ainda as Reuniões de Perguntas e Respostas. As reuniões de Oração da Igreja são realizadas nas quartas-feiras à noite, enquanto as noites dos sábados são reservadas para a meditação sobre o nosso convite e a nossa eleição fique cada vez mais forte e evidente como está escrito que nas lutas determinadas no decorrer de nossa vida possamos chegar-se a Jesus autor e consumidor de nossa Fé. Aquele que poderia permanecer na alegria em vez disso carregou a Cruz e pela vergonha não sucumbiu, marcou como exemplo e deixou as pegadas para que possamos o seguir. Então com temor e tremor lancemo-nos na luta para aperfeiçoar a nossa natureza para mais próxima da Natureza de Deus e possamos crescer na estatura semelhante à de Cristo para estarmos prontos quando no dia da Chegada Dele, porquê o fim de todas as coisas está próximo. Então não devemos dormir como aqueles outros, mas sim, acordados e vigilantes com caráter firme e determinado aguardando o grande dia da volta do Senhor, quando os céus e os elementos se queimarão, a terra derreterá levando os ímpios para o castigo eterno. Então nós que conhecemos e entendemos sejamos operosos, diligentes, sensatos, tementes a Deus, amorosos e humildes e prontos para o encontro com Ele.

Teu tio Jekabs Purens

[Escrito nas margens]
Se mais alguma coisa quiseres saber escreva e pergunte, pois de boa vontade quero escrever e responder. Se quiseres compartilhar ou contar então não mantenha no silêncio e sim abra o seu coração tanto dos problemas temporais como os espirituais. Através da Salvação do Nosso Senhor Jesus Cristo todas as coisas nos se tornam comuns.