…A febre está passando, mas estou tomando injeções de quinino.| De Carlos Leiman para Reynaldo Purim – 1925 –

Paranaguá 12 de fevereiro de 1925

Querido Reynold – Saudações

Nem sei que dia recebi a tua carta. Obrigado. Estes últimos dias, a pressão da quantidade de trabalho foi imensa.

Isso ainda mais, faz mais de um mês, que estou sofrendo de febre, (Febre intermitente). Também passei alguns dias, cuidando de problemas da lancha a motor, até que enfim ficou em perfeita ordem. Ainda tive outros acertos com a Capitania dos Portos, graças a Deus que tudo terminou, quase não conseguia dormir em paz, pensando em tantos problemas.

O Deter determinou por procuração que eu fizesse tudo, pagasse a matrícula e todo resto e agora está tudo em ordem. A febre também está passando, mas ainda estou tomando injeções de quinino.

Amanhã devo sair de lancha para visitar as Igrejas para levantar as estatísticas para apresentar na Convenção Estadoal qual será realizada em maio.

Queria deixar este trabalho aqui, mas até agora não houve possibilidades. O Deter não me larga daqui nem por nada. Honra tem me dado até demais. O que não é bom nem para mim nem para ele. Resumindo ele tem sido um amigo de inteira confiança.

O Cascão foi transferido para Rio Negro. O eu queria para mim, saiu para ele. Agora lá está tudo correndo para baixo. Com a Igreja de Rio Branco aconteceu igual como em Rio Novo. Separou-se. Os que levavam as coisas a sério, saíram, os quem não saíram e não concordam, estão sendo excluídos. Nos cultos, os que se retiraram, estão cooperando com a Igreja de Joinville, a qual recebeu de boa vontade como membros. Já começaram as lamentações, e estão querendo que eles voltem, mas isso será muito difícil.
Dizem que o Butler os tinham enganado, não contando toda a verdade. O Smidts está indo para Florianópolis. Agora aqui está muito quente e chove muito também.
O pastor da Igreja de Rio Novo virá para Curitiba para estudar.[ Karl Stroberg]

Bem por momento chega.

Saudações.

Carlos Leiman

Anúncios

Estou definitivamente resolvido mudar-me para Laguna…| De Carlos Leimann para Reynaldo Purim -1924

Carta manuscrita em Português e copiada sem correções

Paranaguá 16 de Agosto 1924

Prezado Irmão Reynaldo

Hontem recebi a sua cartinha sinceramente grato.
Quinta feira cheguei da minha ultima viagem e hoje sigo para outro lado – Quanto o meu trabalho durante os dias deste mez visitei 14 diferentes lugares, preguei 22 sermões, 21 reunião de oração 4 visitas particulares – viajando de motorista na lancha, pois esta por minha conta,, tem feito eu derramar suor , enquanto outros tremem de frio- nas egrejas o trabalho está se firmamento este anno tem havido muitas brigas e eliminações e poucos baptismos, ainda há alguns casos a resolver – Cascão, por dar muito escândalo à causa , as Egrejas prohibiram pregar por algum tempo –Deter amparando-o incondicionalmente mandou a Rio Branco, Joinville, creio que mudar-se-há para lá – Estou definitivamente resolvido a mudar-me para Laguna até principio de Outubro, ou então para fora deste campo-

Do Smith nada sei absulutamente – Aqui tem feito muito frio – Estou cansado, contipado , aborrecido

Estou de viagem – Até outra vez

Seu irmão e amigo
Carlos Leiman

Do Rio Novo nada sei

..encontrei uma montanha de jornais e cartas inclusive a sua. | De Carlos Leiman para Reynaldo Purim – 1923

Paranaguá 23 de outubro de 1923
Querido Purim – Saudações!
Somente na Terça feira dia 16 cheguei em casa de viagem e encontrei uma montanha de jornais e cartas inclusive uma sua. Muito obrigado por tudo.
Passei uma semana no Rio Novo e lá eles vivem a mesma vidinha de sempre. Discordando e encrencando para aturar a vida.
Em Mãe Luzia também estive e batizei 3 pessoas. Fiz as pazes entre os Klavas e os Stekert que não se falavam e agora ficaram bem.
O Onofre está muito cansado e esta se aprontando para mudar para as Serras para morar no mato!
O Pastor Oscar de Oliveira comprou com promessas, agora comanda uma escola perto da grande ponte de Laguna na beira da lagoa. Contou-me que nada melhor ele conseguiu.
Em Joinville batizei 2, em Rio Branco 2, e em Porto União tivemos boas reuniões com auditórios bastante hostis, Sabatistas, pentescostais, presbiterianos etc. – Mas as que venceram foram às verdades bíblicas.
O Cascão está determinado me boicotar. O Deter determinou que eu visitasse as Igrejas no lugar dele e o Cascão me levar a todos estes lugares com a “Lancha Batista”. Quando eu transmiti esta determinação, ele falou que eu fosse com outras pessoas.
De qualquer modo no começo de dezembro estou mudando para Laguna. O trabalho lá exige. Também para fugir, destes grandes comandantes mandões.
Quando vieres para as férias, aproveite bem o tempo. O missionário Shmidt estará em Sta Catarina.
Desta vez chega. Estou um pouco adoentado.
Saudações
Teu Carlos Leimann