Um trem da Estrada de Ferro Dª Tereza Cristina passando pela estação deixando muita fumaça e vapor.



Anúncios

Pois, segundo os jornais alemães o Pão de Açucar está derretendo |De Olga Purim para Reynaldo Purim 1922

Rio Novo 23 de março de 1922

Querido Reynohold.

Saudações!

Recebi a tua carta escrita no dia 1 de março ontem. Obrigado por ela.

Você sempre foi bastante detalhista e agora na costura o que é muito raro eu fazer, mas agora que você já é Doutor eu tenho que me aperfeiçoar mais.

Os Prospectos já faz bastante tempo que os recebemos. Se soubesse que o Victor tinha prometido contar tudo acerca você teria explorado mais. O que ele contou que estás com saúde, que estás bem e que trabalhas em uma boa oficina. Que vocês são grandes amigos e é isso tudo que a senhora mãe dele contou para a Mamma. [Mamma é a Lisete Rose Purim mãe de Reynaldo, de Olga, de Lúcia, e de Otto Roberto Purim que foi o meu pai] Também contou que tu não gastas tanto quanto o Victor [Staviarski] que precisa muito dinheiro quando na viagem para casa.

Nós entregamos para o Victor levar para você as lembranças e se quiseres saber quanto custou depois me escrevas que eu te conto.

Foi a própria Selma [Klavin] que entregou o pacote prá você ou mandou através de outra pessoa? Eu perguntei se ela poderia entrar no Colégio Masculino e ela disse que ela podia entrar onde quisesse.

Quais são os nome daqueles rapazes letos lá de Rio Branco e gostaria de saber se há mais letos de outros lugares. Do Rio Novo ninguém quer ir porque lá tem falar em brasileiro.

E agora está bastante perigoso viajar ao Rio de Janeiro. Pois segundo jornais alemães o Pão de Açúcar está derretendo. Dizem que apareceram dois imensos buracos do lado do mar e que durante o dia se consegue ver a fumaça e a noite vêem-se claramente chamas e que se torna perigosa a navegação pela baía pelo risco de incendiar algum navio. O que você sabe sobre isso? Tu não tens medo? Dizem que a fumaça sulfurosa poderá sufocar a todos. Dizem que chega a chiar quando está queimando. [Devia ser alguma brincadeira de 1º de Abril antecipada deste jornais]

Você que é grande artista na oficina poderia fazer um cocho para alimentar as vaquinhas. Vocês têm alguma vaca ou é de alguma outra pessoa?

Agora você trabalha na confecção de caixas. Aqui você não sobreviveria com a fábrica de caixas, pois ninguém iria comprar e lá você pode até ficar rico com esta indústria.

Agora não poderei escrever muito porque as suas férias terminaram e assim você não terá tempo de ler.

Aqui no Rio Novo nada de importante aconteceu.

Na segunda feira foi a Festa de Aniversário da Igreja e choveu o dia inteiro. O Inkis não veio e não havia visitas de outros lugares. A Festa foi dirigida pelo Frischimbruder [Júris Frischembruder grande líder da comunidade] e até que foi muito boa. Quando as pessoas chegaram de volta em casa, estavam molhadas devido à chuva que não parou.

A chuva parecia que como fosse em janeiro. Nesta época em março já não devia estar chovendo tanto.

As ervas daninhas este ano crescem como nunca. O feijão parece que não vai dar grande coisa devido ao excesso de umidade. Também apareceram lagartas de tamanhos diferentes das do ano passado.

O milho este sim está com as espigas muito bonitas.

– Bem agora chega, tenho que ir dormir. Começou uma dor de dentes. Você não poderia mandar aquele pó para dores de dente que você tinha trazido quando esteve aqui?

Ainda mui amáveis lembranças de todos daqui. Escreva bastante agora.

A carta que mandei através do Victor acho que não tinha chegado. – Olga.

O dia do enterro dele, lembrou o dia do casamento dele… | De Olga Purim para Reynaldo Purim – 1921

Rio Novo 5-9-21
Querido Reynold!

Saúde! Recebi a tua carta escrita no dia 14-8-21 no 26 de agosto. Muito obrigada. Você sempre pede que eu escreva bastante e hoje até que teria, mas tem um grilo que está me atrapalhando a escrita com o seu irritante e insistente canto e se escutar melhor também as rãs estão com o coaxar prevendo chuva.

Semana passada choveu muito, quase demais e fez muito frio. Mas agora está quente outra vez.. Este ano excepcionalmente a primavera chegou bem mais cedo, pois todo mês de agosto já estava quente e mesmo abafado e a última geada foi em 20 de julho. O pessoal está capinando e queimando as roças e está tudo coberto de tanta fumaça como em outros anos acontecia bem mais tarde no mês seguinte. Aqui nas roças estamos terminando de colher o milho e já em seguida estamos a plantar novamente.

Aqui no Rio Novo no mês de agosto foi época de Festas. No dia 17 de agosto uma quarta feira, à noite, foi a Festa da Colheita [Festa de Ação de Graças pela safra colhida]. O tempo estava bom e somente nublado, mas um pouco antes deu uma forte chuva que como foi rápida não chegou a fazer lama nas estradas pois a terra absorveu. Não podia chover mesmo, pois dias antes tinham chegado as grandes e esperadas visitas da grande cidade, o Dr. Luppers e outros não menos importantes como o José Casscão [Cascão] de Paranaguá e o Antônio Ernesto da Silva de São Paulo. Estes tinham estado em Curitiba nas Conferências e o Luppers tinha conseguido que eles viessem junto. Eles fazem tempo que queriam conhecer o Rio Novo. O Onofre que sabia de tudo, também viajou e veio para acompanhar, pois ele sabia quando eles viriam, mas o Antônio Ernesto não ficou muitos dias aqui, isto é somente nas Festas e logo desceu de volta para Orleans e lá organizou diversos cultos e reuniões, todas as noites e no sábado foi embora no sábado, porque não tinha planejado ficar tanto tempo fora de casa e vir tão longe.. O Dr. Lupper e seu companheiro ficaram até o domingo pela manhã, mas a noite já estava em Orleans e ai nós também fomos. Nas noites anteriores nós não fomos, mas os músicos e o coro foram quase todas as noites. Estas reuniões foram muito concorridas tanto é que o sacerdote católico determinou missas extraordinárias e tocava o sino alertando ao povo que não fosse, mas pouco adiantou pois na última reunião tinha mais de 400 pessoas. As reuniões eram feitas no prédio onde era o antigo cinema. O prédio está vazio e parece que faz tempo que não tinha sido usado. Dentro somente as poltronas pois faz tempo que não são feitas apresentações de filmes.

Também tivemos a oportunidade de ouvir o tão afamado solista acompanhado do harmônio, mas não agradou tanto quanto era esperado e é provável que nossos ouvidos não sejam acostumados com apresentações tão artísticas. Na primeira noite o Onofre trouxe ele [o Lupers] aqui em casa e ai ele contou para o Pappa que te conhece da cabeça aos pés e que sabes falar francês, alemão, inglês tanto quanto ele e ainda outras coisas como álgebra etc.

Bem os tempos passaram e depois de uma semana ele viajou até a casa do Onofre e dai para Imbituba.[O Onofre morava na localidade de Braço do Norte também chamada de Barra do Norte, uma Estação da Estrada de Ferro que ia pra Tubarão- Não confundir com a cidade de Braço do Norte hoje que naquele tempo chamava-se Quadro do Norte]

Há pessoas que dizem que depois de muita alegria e festas também vem a tristeza e funerais e agora isso aqui no Rio Novo aconteceu. Eu não gosto nada de escrever sobre funerais, porque as minhas cartas trazendo notícias tristes podem deixar você perturbado.

Bem agora isto aconteceu depois de festas, o funeral. O Oscar Karp voltando da cidade montado em seu cavalo chamou-nos da porteira e informou que noutro dia depois do almoço seria o enterro do Willis Paegle. Que ele tinha morrido às 3 horas da tarde… Parecia incrível, pois ninguém sabia que ele estava doente ou se foi um acidente.

Somente outro dia no cemitério ficamos sabendo que dias antes que ao levantar um peso excessivo de ter havido rompimento nalgum órgão interno. Chamaram o médico, mas este disse que não havia mais esperança e ele não viveria mais. Agora os Auras e os Paegles estão numa tristeza profunda, pois o que a Erna vai fazer com um filho com 2 anos somente, já sozinha.

Nos derradeiros momentos estavam juntos todos os parentes e ele pediu que ninguém chorasse, mas sim que levassem uma vida tal, que permitisse que no céu voltassem a se encontrar.

O dia do enterro dele lembrou o dia do casamento dele que também foi numa tarde de sábado que foi um lindo dia, também após uma semana de chuva. Agora chega, pois o papel acabou. Com saudações Olga
__________________________________________________________