A grande seca trouxe muitos prejuizos para Lavoura e prô gado.| De Juris Frischembruder para Reynaldo Purim -1924 –

Rio Novo 25/5-24
Querido Irmão em Cristo.
Que a Misericórdia e o Amor de Deus esteja convosco.
Alegro-me que você alcançou com a Graça de Deus o seu lugar onde mora e onde trabalha e agora com as forças renovadas e com alegria enfrentar o trabalho na seara do Senhor nosso Deus.
Também fiquei muito feliz e satisfeito porque se dispusestes a colaborar com o “Kristiga Balss” [A Voz do Cristão – Publicação da Convenção Batista Leta da Letônia] e de coração agradeço.
Tinha totalmente olvidado que o R. Inkis também trabalha lá no Seminário. Por favor, cumprimente-o por mim e diga a ele que eu solicito que também colabore com o “Kristiga Balss” com todas as suas energias espirituais.
Nós aqui no Rio Novo, vai tudo como de sempre.
A Mocidade está se aprontando para a grande Festa dos Hinos e da Música que vai acontecer nas Oitavas da Festa do Verão. [Otras Wasaras Swetkus. Segundo dia da Festa do Verão – Oitavas].
Agradeço pelos obséquios que fez por mim.
Nas minhas lides diárias tudo vai mesma coisa nem melhor nem pior. A grande seca trouxe muitos prejuízos para a lavoura e para o gado.
Favor desculpar-me pelo atraso na resposta, a sua carta.
Com amáveis e sinceras lembranças.
Seu menor irmão em Cristo.
J. Frischembruder.[ Júris ]

…e por que não ficou mais tempo aqui. | De Luzija Purim para Reynaldo Purim – 1924

Rio Novo 25-3-24
Querido irmãozinho!! Saudações!
Recebemos a carta escrita em 1-III-24 e também aquela escrita em Imbituba. Muito obrigado por elas. Eu já no dia 29 de fevereiro escrevi uma carta para você. Você já a recebeu?

Nós graças a Deus estamos suficientemente bem.

O que está um tanto irregular é o tempo. Agora está muito seco. Ontem foi muito quente e formaram-se nuvens e ficamos aguardando a esperada chuva e só caíram algumas gotas. A ventania que veio junto empurrou as nuvens embora deixando no rastro muito milho derrubado daquele que tinha sobrevivido a seca. Hoje está novamente um tempo bom e até bem fresco e até parece um dia de outono.
No dia 6 de março prá lá de Orleans, principalmente em Palmeiras[Pindotiba] deu uma grande chuva de granizo. As pedras de gelo eram do tamanho de ovos de galinha e até maiores. Destruiu telhados e vidraças das casas, pessoas, animais, as lavouras. A tempestade durou uns 15 minutos. Naquele dia nós não tivemos nada além de poucas gotas de chuva. Noutro dia choveu, mas muito pouco para as nossas necessidades. Este ano é bastante interessante em alguns lugares chove até demais e outros como aqui está seco demais.

Você quer saber como vai o trabalho em Orleans, Nada de novo não tem acontecido. Parece que não há muitas pessoas muito interessadas naqueles cultos.
Alguém outro, dia, perguntou por que você ficou tão pouco tempo e porque não ficou mais tempo aqui. Eles pensam que você vai mandar alguém outro para ajudar no trabalho aqui.
Aqui no Rio Novo as coisas estão variadas. Na outra vez eu escrevi que o K.Stroberg estaria chegando em Imbituba no dia 12 para trabalhar aqui, mas não chegou. Ele somente mandou uma carta para a Igreja que ele estaria disposto vir para ser pastor da Igreja, mas não evangelista. Diversas pessoas se manifestaram em contrário, pois se ele não pode vir como pastor, de evangelistas há tanta necessidade. Seria muito difícil uma pessoa que não sabe falar em língua brasileira fazer qualquer trabalho evangelístico. Nós precisamos uma pessoa que possa trabalhar para fora, pois muitas portas estão abertas para o trabalho. Assim mesmo a maioria venceu e então estão mandando um telegrama para que ele venha para cá, mas existem muitas dúvidas é o resultado disso tudo só Deus sabe, pois os desencontros de opiniões são demais.
Na quinta feira [Dia 20 de março era o aniversário da Igreja Batista de Rio Novo ] passada foi a festa de aniversário da Igreja. Foi um dia lindo. O que mais tinham eram hinos, músicas e diversas poesias. Saudações de outras Igrejas Batistas Letas sob forma de cartas e por telegrama da Igreja de Ijuy. O que você pensa da Igreja de Nova Odessa veio um mensageiro especial: o próprio Pastor Karlis Kraul e ainda hoje está dirigindo um culto em Orleans. Aqui ele falou na Festa, no culto especial na Sexta feira a noite, no Domingo pela manhã e no culto a noite e ainda mais em um culto especial na Terça feira a noite. A pregação dele muito se assemelha a do Stroberg. Ele também fala sem nenhuma preparação. Ele é um grande orador, mas do texto lido, ele sai embora para longe. Ele é de estatura bastante alta, mas a face bem queimada, parecendo mesmo um brasileiro. Teria muito o que escrever sobre suas mensagens, mas quem consegue descrever tudo.
Há pouco tempo recebemos uma carta da Lilija. Ela brigou comigo porque eu seria igual a você, que fica reclamando do muito trabalho. Ela também escreve que não vai escrever mais para você enquanto você não responder a carta dela. Você bem que poderia mandar uma cartinha, para que a paz volte imediatamente e tudo estará bem.
Como foi a tua viagem no navio? Você foi de primeira ou segunda classe? Quanto custou a passagem? Em Paranáguá você desceu para conversar com o Karlis Leiman ou ele subiu a bordo?
O Link também viajou para o Rio? Como ele passou lá na terra dele? Que trabalho você faz na Escola? Como vai tudo de modo geral?

Bem desta vez deve ser suficiente e o que vou escrever na outra vez e é possível que não tenhas nem tempo para ler. Também recebemos “O Crisol” só que achamos tão vazio. [Crisol é um cadinho para fundir e purificar o ouro. Não se sabe se refere a publicação ou mais no sentido de não ter vindo algum ouro no crisol ]

Aqueles remédios para Mal da Terra [Ancilostomíase] e aqueles livros você já mandou?

Se você escrever tanto quanto eu escrevi será muito bom.
Muitas lembranças de todos de casa e também da Luzija.

…gastar um bom meio dia para ler e contar os inúmeros erros | De Lucija Purim para Reynaldo Purim – 1923 –

Rio Novo 25 de junho [de 1923]

Querido Irmãozinho!!

Saudações! A tua carta escrita no dia 30-4-23 recebi ontem à noite. Muito obrigado. Esta, porém foi daquelas que demoraram quase dois meses para chegar e também foi aberta e ainda bem que tudo estava dentro. Agora não chega nenhuma carta sem que o pessoal do correio de Orleans não a tenha aberto e lido. Se o encarregado dos correios vai com a cara do destinatário até que ele entrega, senão ele vende para os donos das vendas [casas de comércio] como papel de embrulho.  Aqui na colônia existem pessoas que assinam jornais de maior porte e passam semanas, meses sem que chegue nenhum e às vezes calha que eles vêem o pessoal das Vendas embrulhar café com os jornais com o nome deles e quando interpelados, eles dizem que foi o Alfredo Balod quem vendeu para eles.

Por ai você pode avaliar como a ordem reinante tem descambado na cidade. Os jornais da região têm denunciado até com caricaturas, mas nada tem adiantado porquê o Alfredo é genro do Intendente [Prefeito nomeado pelo governador ou eleito???] e por ai você pode ver que governo nós temos por ai, que tem por única preocupação destes homens é ganhar dinheiro a qualquer custo.

Por isso também os impostos foram aumentados, neste ano pela terra teremos que pagar 16$000 quando no ano passado foi 13$000, o imposto do fogo [Imposto do Fogão] era 5$000 e agora é 12$000 e eu não sei direito, mas há uma conversa que teremos pagar 12$000 pela estrada e ainda outras leis e impostos que ainda não foram efetivados quando serão cobrados pelas vacas, cavalos, carros e carroças. Por isso os colonos estão em guerra com o Governo.

Hoje o tempo está nublado e chuvoso, mas até 4 dias atrás estava limpo e muito frio, a estrada está uma lamaceira só e os atoleiros só não são maiores porque assim já não cabem na estrada. Lá também está chovendo agora?

No Domingo passado à noite foi à noite de apresentações da Mocidade. Faz umas duas semanas que o Auras [Osvaldo Auras] chegou em casa voltando de Ijuy e naquela noite aproveitou para contar as peripécias para chegar de volta a Rio Novo. Foi muito interessante ouvir contar tantas dificuldades que ele teve na viagem. Na ida ele pegou o navio e foi direto a Porto Alegre e daí para frente de trem. A chuva não falhou nenhum destes dias. Na volta também veio de trem. O combóio e todas estações estavam repletas de soldados. Até que enfim chegou até Porto Alegre. Mas o navio já tinha partido há tempo. Queria encontrar alguém que pudesse trazer por terra, mas ninguém queria viajar numa época de revolução. Mais tarde encontrou um judeu que trazia passageiros até Campinas [Araranguá], de automóvel pela beira do mar. No princípio até que a viagem era agradável e vinha bem rápido. Mais adiante encontraram grandes rios quais não eram possível passar, então ele atravessou numa balsa e continuou a viagem numa carroça puxada por cavalos e mais adiante ela também quebrou e daí neste próximo trecho ele veio num carro de bois e depois de carroça puxada por cavalos novamente, chegou a Criciúma. Daí de trem a Orleans via Tubarão chegando feliz em casa trazendo a sua sogra e o cunhado juntos.

Corre a conversa por aqui que o Villis Leimann não deverá vir para cá. –

Bem agora já chega. Agora que eu consegui começar escrever você terá que ter paciência e gastar um bom meio dia para ler e contar os inúmeros erros. Mas seria muito bom que você também escrevesse bastante.

A Olga também deve ter “imprimido” a sua carta de muitas léguas de comprimento e assim você vai ter muito o que ler. Escreva uma longa carta sobre tudo que acontece por ai. Perguntar eu não pergunto mais nada porque não vale a pena, você nunca responde as minhas indagações. Assim sendo continuo a aguardar uma longa carta sua, porquê está na hora de ir para cama.

Eu na realidade não estou com sono, mas as minhas mãos estão geladas e é por isso que a minha caligrafia está tão bonita. Muitas lembranças da Lúcia.

 

Escrito nas laterais.

Se tivessem chegado os jornais e os acordoamentos dos violinos então poderíamos ir tocar na sua grande festa. Mas os violinos estão sem as cordas e a guitarra está empoeirada. Vamos esperar pelo verão quando os dias estarão mais longos então teremos mais tempo para acertar e afinar tudo muito bem. Bem não esqueça de junto com o convite mande junto algum automóvel.——

Você nem pode imaginar como hoje rendeu a minha escrita. Não pense que é só para você que eu tenho que escrever, pois nós temos parentes no mundo inteiro. São 2 as cartas que escrevi hoje como atirar eu atirei e matei dois coelhos com um tiro só, apesar de agora já ter passado da meia noite.

 

 

 

 

 

 

 

…estamos quase todos sãos. | De Lucia e Olga Purim para Reynaldo Purim – 1923 –

Rodeio do Assucar   8 de junho ( de 1923)

 

Querido irmãozinho!!

 

A tua carta escrita no dia 16 de maio recebi no dia 29. Por ela muito obrigada. Eu já poderia ter respondido mais rápido, mas na semana passada ninguém de nós foi para a cidade e assim eu não escrevi. Você escreve que nenhuma carta de casa tens recebido então é provável que a longa carta que escrevi e mandei no dia 24 de abril tenha se perdido. É uma pena porque era uma carta realmente longa, pois eu escrevi duas folhas cheias e a Olga também escreveu outras 2. Se realmente sumiu estão o prejuízo foi muito grande, pois não descrevemos sobre todos os pastores e outras pessoas que aqui vivem e despachamos outra carta no dia 8 de maio com 3 folhas dentro escritas por mim e pelo Arturs.

 

Agora estamos suficientemente bem e estamos quase todos sãos. Algumas semanas atrás o Paps e o Arthurs ficaram de cama e na semana passada a Olga ficou de cama com influenza, pois agora muita gente está com esta doença e é forte que a pessoa é obrigada ir para cama mesmo e a dor de cabeça é muito forte e muitos vômitos. Em Orleans muitas crianças têm morrido com esta doença. Eu ainda não caí na cama mesmo porquê eu não tenho tempo e sempre tem muito trabalho para ser feito, mas boa mesmo, eu não estou não porquê não tenho vontade de comer e sempre está faltando alguma coisa e ainda os meus pés estão sempre gelados. À noite eu calço dois pares de meias de lã para então poder trabalhar, senão eu fico gelada.

Esta semana o tempo está bom e muito frio, todas as manhãs amanhece branco de geadas. Nos lugares mais baixos as primeiras geadas aconteceram no dia 14 de maio. Nos dias que antecederam choveu muito forte e no dia 13 de maio começou a soprar um forte vento do lado das Serras e no outro dia já estava limpo e frio. Este inverno está sendo muito chuvoso e quando fica um, pouco nublado já começa chover.

A Lucija foi para a roça então eu  vou pegar esta carta e terminar.

_______________________________________________________________________________________________________________

 A “Festa do verão” [Pentecostes] este ano foi tão diferente como acho que nunca houve. Começou a chover na Sexta feira e naquele Sábado o dia inteiro e ainda choveu forte aquele Domingo o dia inteiro e nas Oitavas [2ª feira] estava nublado e a tarde começou a limpar e era neste dia que a Mocidade tinha a Festa da Música ou a festa dos Hinos de Louvor. Nesta Festa não teve muita gente porque as estradas estavam realmente intransitáveis. O programa não foi longo. Quem dirigiu foi o Oskar [Oskar Karp – Pai do João Karp casado com a Ruth Karkle, da Marta casada com Oswaldo Paegle e de um outro filho dele que mora em São João da Boa Vista em S.P. que não lembro o nome.].

 Porquê o atual dirigente da mocidade não pôde participar de sua organização. Na festa da Ascensão do Senhor houve uma festa para as crianças, [Salmu Swehtki – Falta traduzir] e quem os dirigiu foi o Seeberg, àquele dia sim, o tempo estava bom.

Aqueles remédios que você pediu nós vamos mandar na próxima vez, apesar de nos termos bastante, o problema é que com este tempo não é possível secar o suficiente e o tempo agora está que não seca nada.[Anzerina]. Quando nós as mandarmos também vamos escrever o modo de preparar. Dizem que no alto das Serras esta planta viceja sem qualquer plantação ou cuidado.

Tens encontrado o Fredy Stekert? A Aldona Balod [Alda Balod mais tarde casou com o meu tio Otávio Fernandes] faz bastante tempo que já foi para o Rio de Janeiro e ela está morando com a Erna Grünfeldt. A Aldona escreveu para Natalim [Não foi possível identificar este personagem] que ela é a Erna de vez em quando encontra os jovens letos do Seminário. Aqui corre um boato que a esposa do Fredy fugiu. Quando o encontrares, pergunte se realmente era esposa dele. A Selminha [Selma Klavin] quando esteve aqui contou maldosamente que a grande maioria dos rapazes que estão fazendo o Seminário aproveitando os estudos mais em conta e depois casam e vão plantar batatas. Parece que só ela não conseguiu capturar nenhum deles. Ela diz que sempre eles dizem que tem muito trabalho, mas só na Primeira Igreja do Rio ficam sentados 10 a 12 pastores que não fazem nada em lugar nenhum, alguns tem alguma vontade e ainda saem para pregar, mas não são grande coisa.

A Lúcia está muito preocupada porque você não mandou a fotografia sua tirada na apresentação do seu Coro. É para mandar como lembrança do dia do nome dela, [O dia do nome para os letos é tão importante como o Aniversário da pessoa. Ex.João dia 24 de junho] ela promete que em troca vai escrever para o teu pessoal denunciando o dia teu aniversário. Ai não vai adiantar nem tomar remédio nem usar emplastros.

Você pede que nós escrevamos longas cartas descrevendo tudo minuciosamente, [Sikhi un smalki – Sikhi seria minuciosamente, tim tim por tim tim e Smalki seria modo mais elaborado – Não estou satisfeito com a tradução.], mas onde nos vamos buscar todas estas notícias e porquê mesmo os nossos dedos são grosseiros de tanto trabalho, então te contenta com a nossa letra e o nosso modo rude de escrever.

Lembranças de todos de casa. Olga

 

[PS. Esta carta foi começada pela Lúcia e terminada pela Olga]