Nós te saudamos em Nome do Nosso Senhor Jesús Cristo…….| De Jehkabs Purens para Reynaldo Purim -1925 –

[Carta do Tio Jekabs Purens para Reynaldo Purim sem indicação do ano, mas pelo contexto parece ser de 1925].

Nova Odessa, 20ºdia de junho

Querido Reinhold. Nós sinceramente te saudamos em nome do Nosso Senhor Jesus Cristo e que a Paz esteja convosco e abençoe a quem te abençoa e se alegre aquele que te faz alegre e feliz se torne àquele que te faz feliz. E aquele que te entristece que o mesmo seja entristecido.

A tua carta que você escreveu no dia 20 de maio não tive oportunidade de responder imediatamente porquê naquela semana chegaram uma enchente de cartas. Algumas da Letônia na Europa, também do Rio Grande do Sul e ainda da Colônia Varpa. Então depois de acumuladas comecei a responder por ordem de chegada e agora esta noite chegou à vez de responder a sua carta.

Você quer saber sobre aquela medida agrária usada aqui que é o Alqueire. Essa medida aqui é calculada assim: um terreno com 100 metros de largura e 200 metros de comprimento (fundos). E se o terreno for quadrangular então cada face deverá ter 150 metros. Este é o alqueire usado aqui.

Você quer saber qual é o custo do arrendamento, então é assim: por cada alqueire custa 118 mil réis e como nós temos 9 alqueires custa no total uma quantia de 1.062 mil réis por ano. Você ainda pergunta se neste terreno existem casa ou alguma habitação. Não, não existe nenhuma, queremos nós mesmos trazer os tijolos e construir porquê isto nós sabemos bem.

Então ainda você pergunta se nós gostamos da vida aqui no Brasil. Sim. Até agora estou muito satisfeito e para mim como pessoa de idade o calor daqui é realmente agradável e agora estamos muitos bem, todos com boa saúde, podemos trabalhar e neste verão passado temos ganho dinheiro, mais de um conto de réis e ainda no pagamento muitas peças (pedaços) de tecidos, também os patrões, donos das lavouras onde os meus familiares trabalharam deram 1/2 alqueire para que nós plantássemos para o consumo próprio, então plantamos arroz e milho e agora no outono colhemos o suficiente para passar até o próximo ano. Então eu levantei os meus olhos e minhas mãos para o céu agradecendo ao Pai do Nosso Senhor Jesus Cristo pela sua infinita misericórdia que aos tristes ele alegra e aos pobres estende a sua mão poderosa dando o seu sustento e assim sinto premiado e que seja Louvado o Cordeiro de Deus eternamente porquê ele dá aos que oram pedindo em nome Dele e assim tem feito.

Agora uma palavrinha sobre a vida espiritual de nossa igreja aqui em Nova Odessa. A Igreja é bem grande e o Pastor é um recém chegado da Letônia o Irmão Kraul, porta voz da renovação espiritual e de um reavivamento bíblico sincero, confiável servo do Senhor Jesus Cristo, esforça-se para cumprir de todo coração a tarefa que lhe foi confiada e trabalha diligentemente para trazer almas para o aprisco do Senhor, este ano foram poucos os batismos se não me engano foram somente 8 pessoas e para uma Igreja tão grande realmente os frutos foram muito poucos, mas nós temos que dar graças a Deus por estes também. A Escola Dominical tem bastantes crianças e um grande contingente de professores que gastam o seu tempo ensinando dominicalmente. Uma grande União de Mocidade com suas reuniões e durante a semana os Estudos Bíblicos, as Reuniões de apresentações diversas e ainda as Reuniões de Perguntas e Respostas. As reuniões de Oração da Igreja são realizadas nas quartas-feiras à noite, enquanto as noites dos sábados são reservadas para a meditação sobre o nosso convite e a nossa eleição fique cada vez mais forte e evidente como está escrito que nas lutas determinadas no decorrer de nossa vida possamos chegar-se a Jesus autor e consumidor de nossa Fé. Aquele que poderia permanecer na alegria em vez disso carregou a Cruz e pela vergonha não sucumbiu, marcou como exemplo e deixou as pegadas para que possamos o seguir. Então com temor e tremor lancemo-nos na luta para aperfeiçoar a nossa natureza para mais próxima da Natureza de Deus e possamos crescer na estatura semelhante à de Cristo para estarmos prontos quando no dia da Chegada Dele, porquê o fim de todas as coisas está próximo. Então não devemos dormir como aqueles outros, mas sim, acordados e vigilantes com caráter firme e determinado aguardando o grande dia da volta do Senhor, quando os céus e os elementos se queimarão, a terra derreterá levando os ímpios para o castigo eterno. Então nós que conhecemos e entendemos sejamos operosos, diligentes, sensatos, tementes a Deus, amorosos e humildes e prontos para o encontro com Ele.

Teu tio Jekabs Purens

[Escrito nas margens]
Se mais alguma coisa quiseres saber escreva e pergunte, pois de boa vontade quero escrever e responder. Se quiseres compartilhar ou contar então não mantenha no silêncio e sim abra o seu coração tanto dos problemas temporais como os espirituais. Através da Salvação do Nosso Senhor Jesus Cristo todas as coisas nos se tornam comuns.

Anúncios

Uma viagem a Urubicy | de Otto Roberto Purim (Artur) para Reynaldo Purim – 1924 –

Rodeio do Assucar, 28 de abril

Querido irmão! Saudações!

Agora desta vez chegou à hora de eu escrever uma carta para ti. A tua faz tempo que a recebi, mas não fiquei conformado, pois ela era muito curta, eu esperava pelo menos duas páginas, mas muito obrigado por ela assim mesmo.

Tu escreves pedindo que eu escreva uma longa carta para você. Mas eu não tenho máquina de escrever, nem material nem tantos assuntos para descrever e nem tempo para tanto. Portanto não espere como pediu aquelas descrições minuciosas [Sihki un smalki] e em ordem cronológica. Vou escrever o que estou fazendo e responder o que você perguntou.

Esta semana batemos [Bater arroz – O arroz era cortado e trazido em feixes para a eira a qual era coberta com um pano grosso (10 x 10 metros). No centro deste lugar era colocada uma caixa com a parte superior gradeada com sarrafos. Apanhando pequenos feixes de hastes do arroz cortado, estes eram batidos nesta grade com a finalidade de despegá-los das hastes. Depois era peneirado para eliminar a palha e outras impurezas e assim estava pronto para ser trazido para o paiol para nos dias subseqüentes ser posto no terreiro para secar. As hastes de arroz serviam para cobrir as ramas de mandioca para proteger da geada] arroz, pois eles já estavam maduros demais. Nós esperávamos você para ajudar-nos. Ainda na semana passada choveu e é por isso que passaram do ponto. Hoje trouxemos duas carradas [Duas viagens de carro de bois] para casa [Desta vez eles bateram o seu arroz no terreiro] e batemos e rendeu 15 quartas [Cada saco de 50 quilos tem 8 quartas ou 2 alqueires] ainda não bem peneirados. O arroz este ano cresceu bem agora no final e os grãos estão muito bonitos. Pena que aquela seca que deu logo que eles foram plantados foi que prejudicou no perfilhamento. Bem devemos aceitar com gratidão, pois muitos nem isso colheram.

Hoje à tarde eu juntei uma quarta [Uma Quarta de alqueire] de pinhões e agora enquanto escrevo esta carta estou comendo pinhões quanto quiser. Lá também tem pinhões? Dizem que nas Serras este ano tem pouco pinhão porquê a geada no tarde, a geada já bem na primavera prejudicou a florada.

Você se interessou muito por tudo sobre as Serras e quer saber como que é por lá. E sobre Urubicy [S 27.59’41,5 “- W 049.38’038”] eu já contei em outra carta. Lá as terras são planas como uma mesa, mas de ambos os lados tem morros bastante altos. O lugar é bastante lindo. As várzeas dos rios estão todas derrubadas, mas por toda parte existem imensas matas fechadas de pinheiros. Campos de pastagens naturais lá não existem. Se derrubar o mato então nasce grama parecida com os dos campos. Os Campos de pastagens naturais estão a 4 horas de viagem.[A pé ou no lombo de mulas]

Dos contrafortes [“Seras kante” –A parte visível da a grande distância mesmo do Rio Novo e outros lugares] da Serras, daqueles que avistamos daqui é caminhada de um dia inteiro até chegar em Urubicy. Explicando melhor logo quando a gente chega no alto dali até o Rio Pelotas são 2 ½ horas de caminhada e lá é considerado o meio do caminho do Rio Novo até Urubicy. [O Arthurs, meu pai contava que devido a viagem ser de 2 dias, eles precisavam pernoitar nas Serras. Como na Serra na beira da trilha não havia fazendas ou qualquer abrigo, eles antes do anoitecer, paravam enquanto havia ainda luz do dia e cada um cortava uma montanha de galhos de vassoura da serra ou vassoura lageana para si e deixava uma condição que pudesse enfiar-se dentro para proteger-se do vento gelado da noite. É claro que para tanto cada um levava o seu facão na cintura. Naturalmente cada um deles levavam também o seu palo ou capa de montaria para se enrolar. O caminho mais usado naquela época era a chamada Serra do Imaruí que passava pela Brusque do Sul- Morro da Palha- Rio Minador- Vaca Moura- Três Barras- não sei se exatamente todas essas localidades e nem se nessa ordem para chegar ao sopé da Serra que para subir levava 2 horas batidas. Eles atravessavam o Rio Pelotas. A chegada em Urubicí era pelo alto rio Urubicí onde hoje o lugar é chamado de “Baiano”. Muito depois no meu tempo, só usávamos para ir Urubicí o caminho chamado Serra do Grão Pará , também com outros nomes como Serra da Forcadinha ou Serra do Morro do Engenheiro, cujo roteiro ficava oeste da atual Serra do Corvo Branco. Mas esta vamos contar em outra ocasião.]

Você quer saber o que faz o Peteris [Peteris Bruvers. Falta confirmar] e o Karlis [Karlis Karkle] e os outros. O Peteris não tem terra própria e ele trabalha em terra arrendada porquê o governo não vende terras para agricultura onde pretende fazer a cidade, mas somente arrenda. Ele está trabalhando em dois lotes, se bem que o governo só arrenda um, mas devido a curva do rio que chegava perto da rua e por isso ele conseguiu os dois. O valor que eles pagam é 2.500 por ano e por cada lote. O Karlis também morava em casa e lote arrendado, mas como ele não fez a vontade do proprietário ele vai ter que sair e ele vai para o lado do Canoas, também em terras arrendadas. Veja você como é a vida de arrendatário.

Onde o Bessa [ Manoel Bessa ] mora eu não sei se é de propriedade dele ou se é arrendada. Ele mora à distância de uma hora de viagem de Urubicy seguindo o rio abaixo. [Rio Canoas] Ele tem uma lavoura muito bonita, a casa dele é de madeira, mas é de dois andares. A esposa dele é costureira. [Schneiderene – Modista] Ele é agente do Ministério da Agricultura, com ele é possível conseguir as mais variadas sementes. Também com ele podem ser encomendadas máquinas e ferramentas e mudas de frutíferas. Ele tem uma trilhadeira muito bonita movida à força manual. O que ele ainda pensa da religião eu não sei porquê naquele tempo que nós tivemos lá ele estava em Desterro. [Ele era conhecido do pessoal da Igreja Batista leta de Rio Novo, pois tinha sido membro tanto ele como a esposa dele a Charlota. Era morador da cidade de Tubarão e muito bem relacionado com os letos. Em uma sessão regular da Igreja em Rio Novo em 24/11/1912 ele chegou a fazer uma comunicação que tinha entrado em contacto com o Seminário Batista do Sul do Brasil no Rio de Janeiro onde faria o treinamento para ser considerado pastor e a Igreja aprovou por unanimidade.] sei porquê naquele tempo que nós tivemos lá ele estava. Era esperado para chegar em casa por aqueles dias, mas não chegou. Para ele ir até Desterro, ele leva 4 dias de viagem.

[Sobre Manoel Bessa ainda persiste uma dúvida: No excelente livro “Urubici e Suas Belezas Naturais” é mencionado como nascido em 08 de janeiro de 1898 como em 1911 ele já casado com Carlota Costa Bessa (13 anos) então se percebe uma não conformidade e não só esta. Em 1912 ele pede Carta de Transferência e passa para a nova Igreja Batista de Pedras Grandes continuando morar em Tubarão. Ele era conhecido e admirado pelo meu pai e outros da Comunidade tanto é que meu pai na primeira viagem a Urubici tentou contacta-lo].

Não muito longe de Urubicy moram ainda outros compatriotas letos. Da família Kusemitsch o Martschus e o Saschu e ainda a família de um tal de Guba. Nenhum destes senhores eu não tive a chance de conhecê-los e nem sei direito para que lado eles moram. O Fritz Feldberg mora bem perto da atafona [Moinho para moer trigo e milho] do Gustis.[Gustavo Gricht] Quando o Gustis vem para o Rio Novo quem fica de moleiro e serrador, é o Fritz. O Gustis esteve na Páscoa em Rio Novo e depois voltou para cima. Na realidade ele mudou para cima já no começo do ano. Na Festa do Verão [Pentecostes] ele vai descer novamente para o Rio Novo com uma tropa de 10 mulas para trazer de lá ferragens e outras coisas. Ele vai pagar de aluguel 15$000 por mula para esta viagem. A terra dele aqui em Rio Novo ele vendeu para um italiano por 7 mil incluindo um arado e uma vaca nova. As demais ferramentas e ferragens ele vendeu em Orleans para o Hammerschmitd por 2:000$.

O Gustis elogia demais Urubicy e a região. Diz que é tão boa que melhor não se pode querer. As lavouras crescem maravilhosas e trabalhando, pode-se ganhar muito. Diz que pode ganhar até 10$ por dia com a moagem. Depois de ter tomado muito rápido a sopa quente, a solução é elogiar.
Desta vez acho que chega e não tem mais nada importante para escrever. Nenhuma outra viagem foi feita por isso não tenho mais nada para escrever. Agora aqui está chovendo bastante, mas não muito forte. Na noite do Domingo passado houve uma tempestade com uma ventania que passou derrubando o mundo inteiro. Aqui perto de nossa fábrica [Engenho de farinha de mandioca] tinha um tronco seco de uma grande canela. O vento derrubou esta árvore com raízes e tudo e caiu em cima da cerca de arame e arrebentou os 4 fios.

Para o feijão a chuva também é demais, em muitos lugares as vagens estão apodrecendo e os grãos pistolando. Na outra casa [no Rio Novo] o novo quintal já faz tempo que está pronto e está quase todo ocupado com o feijão que nos plantamos. Foi 6 ½ litros de feijão preto, 3 ½ de feijão manteiga, 1 ½ quarta de batata inglesa e ainda sobrou uma grande parte para plantar repolhos. No mês de janeiro eu encomendei sementes de repolho e outras de Minas Gerais e faz tempo que já chegaram e algumas já foram semeadas e então vamos ver o que vai dar. Os rabanetes já estão crescidos e no domingo passado nos já fizemos uma salada e estão deliciosos.

Esta carta eu comecei na semana passada e só terminei nesta. Não pode ser antes devido ao muito trabalho. Durante o dia nos cortávamos o arroz e noite nós batíamos e ainda bem que está tudo terminado. Rendeu 12 sacos. Agora nós os estamos peneirando e hoje nós ventilamos 5 ½ sacos. Agora você deve vir para casa comer arroz. Se bem que você não veio ajudar a cortar e bater pelo menos venha para comer.

Bem chega, já foi suficiente escrito. Se você escrevesse cartas longas como eu tenho pedido, então valeria a pena-me procurar e escrever mais alguma coisa. Mas você só escreve meia página e manda para cá. E ainda manuscrita.

Escreva uma carta bem longa com pelo menos 2-3 páginas. Descreva tudo minuciosamente.

Com lembranças Artur

Rodeio do Assúcar 6 de maio [Data do termino da carta]

[Escrito na lateral].
Espero que com esta carta você esteja realmente satisfeito.