Introdução à História da Família Leimann

T008-2004- Leimans History

Família Leimann

Tentarei fazer um resumo de alguns fatos da história da família de Júris Leimann e sua esposa Eva e mais os três filhos que nasceram na Letônia e mais o último que nasceu no Brasil –

Eles além de parentes de nossa família; a Purim: eram muito amigos e tudo que acontecia com os Leimann era muito importante tanto que o meu primeiro nome Viganth foi copiado de um filho do Fritz.

Eles moravam na Letônia próximo a Riga na estrada que seguia p/ Leste pelas margens do Daugava (Dvina) e depois seguindo por uma estrada secundária até junto as nascentes do Rio Ezerva que é afluente do Daugava em uma casa muito pobre ao lado de um lago cercado de florestas e entremeadas de charcos.

Ele ganhava a vida como serrador de tábuas e dormentes – Quando e onde pudesse encontrar o trabalho escasso e mal renumerado – Sem qualquer esperança no futuro.

Corriam notícias de que no Brasil era possível comprar terras e que as Empresas de Colonização financiavam a viagem e o assentamento….

Parte dos imigrantes tomavam um vapor de Riga até Lübek na Alemanha e daí por trem até Hamburg e daí até o Brasil

Outros atravessavam a fronteira até a Prússia Oriental hoje Lituânia e daí seguiam p/Alemanha até Hamburg.

Encontramos registro da partida de Hamburg do navio “Santos” em 12/11/1891 da Cia Hamburg-Sudamerikanische com destino ao Rio de Janeiro dos seguintes membros da família Leimann:
Karl Leimann nascido em 7 de março de 1.880
Eva Leimann nascida em 1862
Fritz Leimann nascido em 18 de dezembro de 1881
Os demais como o pai Júris e o Willis nascido em 15 de abril de 1888 não encontramos na relação razão fácil de ser explicada pela dificuldade que são os livros manuscritos e difíceis de visualizar.

Ancoraram defronte a cidade de Recife onde foram descarregadas várias locomotivas em grandes barcaças e os passageiros ficaram temerosos do vapor poder virar.

No Rio de Janeiro fizeram a quarentena na Ilha das Flores e depois voltaram a tomar o Navio “Tijucas” até Laguna.

No Natal de 1891 já estavam no Rio Novo à colônia dos Letos perto da cidade de Orleans

A família Leimann acomodou-se na localidade de Rodeio do Açúcar distante uns 6 quilômetros do Rio Novo.

Faziam parte da Igreja Batista do Rio Novo e da Comunidade

Em 23 de agosto de 1895 nasceu o último filho o Artur.

A educação com os filhos era extremamente rígida chegando mesmo quando já adolescente o Karl levar uma surra por qualquer coisa que o pai achou inconveniente. O Karl fugiu de casa p/ o lado das Serras (Planalto) e enveredou no sertão até o estado do Paraná onde ficou morando.

Mais tarde o jovem Fritz resolveu seguir a carreira eclesiástica e para isso teria que estudar fora. O pai concordou com uma condição ele teria que buscar e achar e trazer o Karl para casa. Sei que levou muito tempo, meses mesmo, para que este jovem viajasse a pé através do sertão bravio infestado de feras, gente rude e até de índios e chegasse onde estava o irmão. Não quiseram voltar pelo mesmo caminho e sim se dirigiram em direção do litoral do Paraná e depois seguindo pela costa também a pé, chegaram ao sul de Santa Catarina o seu destino final onde foi feita à reconciliação do filho fugido e o pai super severo.

Todos seguiram a carreira pastoral estudando em diversos Colégios e Seminários inclusive em Buenos Ayres e no trabalho foram bem sucedidos.

Como todos estavam fora, o Fritz em 1922 resolveu vir buscar os velhinhos em Rio Novo que eram cuidados pela nossa família e essa viagem p/ a Argentina foram muito dramática, eles saíram de Rio Novo montados até Orleans e daí até Laguna de trem, de Laguna a Porto Alegre de navio, de Porto Alegre até Ijui onde morava o Willis de trem outra vez e ai que as coisas se agravaram outra vez, pois a d. Eva que já era doente ficou sem poder andar e ainda ficaram retidos em Uruguayana porque as autoridades Argentinas não permitiam o ingresso de pessoas idosas. O Fritz foi adiante e conseguiu a autorização p/ a entrada e em mais dois dias de trem chegaram ao seu destino em Ramirez Entre Rios na Argentina.

Apesar dos extremos cuidados médicos, da Cristina dos netos a mudança p/ fora do seu ambiente foi difícil e logo ambos vieram a falecer.

A história dos Leimann daria um livro pela operosidade e qualidade moral de todos componentes desta família.

Temos muitas informações que estão a dispor de qualquer pessoa interessada.

Viganth Arvido Purim

Curitiba /28/05/2004

vapurim@onda.com.br

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s