Memórias de Lidia Anderman

08

Famílias

Por D. Lidia Andermann

Breves informações sobre as famílias que vieram para o Rio Novo. Baseadas em informações fornecidas sob forma de depoimento pela Dª Lídia Andermann

Andermann
Karlis Andermannis era nome de seu pai. Veio para o Brasil em 1.905 no mês de agosto para ser Pastor e professor da Escola e ensinar o Leto e o Português. Moravam na própria igreja. A menina nesta época da tinha 5 anos. Achava a natureza muito bonita. Lembra também dos piqueniques especiais para as crianças.

O seu pai foi professor no Rio Novo por 5 anos e depois por razões de Doutrina (se tornou pentecostal) teve que sair. Mas ela ficou mais anos morando junto com família do outro Professor que veio depois. O seu pai mudou-se para Mãe Luzia.
, perto do Eduardo e o Ziguismundo. A esposa do Sr. Karlis era da família Kansbergs. O nome da menina, hoje senhora é ela a própria Lídia.

Balod
Dos Balod ela lembra que moravam perto do lugar chamado “Kanels” que na realidade era uma encruzilhada deserta sem qualquer significado se não fosse o lugar das pessoas que vinham juntas da Igreja e, às vezes, namorando ao luar ou sem ele, tinham que separar. À direita iam as que moravam no Rio Carlota, Rodeio das Antas, Rodeio do Açúcar e Invernada. Para a esquerda iam os habitantes do Rio Laranjeiras, Coxilia Sêca e Brusque. Lembra que os Balod tinham duas filhas, a Cornelia e a Alda.

Karklis
O chefe do clã era o Sr. Jekabs. Os filhos pela ordem: Jekabs, Karlis, Vilips, Janis, Ernests e Fricis. O velho era muito comilão, existem diversas histórias. Também era muito cômico e por vezes mal interpretado devido o ambiente por demais puritano. Era casado com uma das irmãs Kanzbergs.

Frischembrudder
O Sr. Juris Frischembruder tinha sido padeiro em Riga. Por isso nas festas da Igreja quem fazia o pão e os doces era ele.

Grikis
Este tocava violino e ensinava o coro.

Grunski
Este tinha uma atafona e uma menina doente.

Indricksonn
Este não era crente. Negociava. Comprava manteiga e outros produtos. Reclamava da estrada que ia para Orleans, cheia de raízes, pedras e muita lama.

Karp
Karp Onkulis [Tio Karps- Modo carinhoso de tratar as pessoas mais velhas] era como a pequena Lídia o chamava. Os filhos Oscar, Arvido [o surdo mudo], Eduardo e a Matilde que mais tarde casou com o João Zalit. Eles por muito tempo não admitiam estar namorando. Estavam sempre a cavalo e sempre passavam na frente da Igreja a galope total e o pastor [pai da Lídia, a nossa narradora] ficava irritado e na primeira oportunidade chamava atenção deles com o pretexto nobre de não maltratar os animais.

Klavins
“Meza Klavins”. Assim era chamado o chefe do Clã dos Klavin. [Significa que estes Klavin eram da selva ou do mato e longe da civilização]

Lövenschtein
Este brigava muito com a esposa. Das três filhas, duas eram Amalia e a Ida. Também tinha um filho que com toda certeza era autista.

Match
Estes tinham duas filhas solteironas muito orgulhosas, não davam bola para nenhum rapaz e muito principalmente se fosse um Karklis.

Neiland
“Neiland Tant” • era desamparada e morava um mês em cada casa.

Netemberg
Eram muito pobres, tinha uma filha que morava em São Paulo ganhando a vida ensinando ginástica e fazendo massagens.

Ochs
Uma filha do Ochs casou com Leimann de Ijuí [A Lúcia]. O João foi morto por uma bala perdida em Tubarão.

Paegle
Ela se lembra da Marta. Uma filha dela furou o joelho com uma agulha.
Eram duas famílias dos Paegles e moravam perto de Orleans. Eles tinham uma ferraria. Eles tinham vários filhos.

Plieder
O Plieder não era crente.

Steckertt
Moravam inicialmente perto do “Kanels” ele era marceneiro e ela costureira. Ela mudou para Orleans e deixou o marido sozinho. Tinha duas filhas a Valeria e outra Frida que casou com o filho do Karp quer era surdo mudo [Arvido] e o rapaz se chamava Hari. O senhor Stekert morreu sem ninguém saber por que [sozinho]. Ele não mudou da roça para Orleans. Talvez fosse problema do coração. Com as meninas eu me dava bastante.

Vanags
Levou um tiro na testa e ficou cego de um olho. Estava limpando a espingarda.

Zanerips
Tinham muitas filhas. Morou em Azambuja [Araranguá] perto do mar. Eram muito amigos dos Andermann.

Lieknim
Mudou para Nova Odessa. Tinham 2 filhas e 1 filho. Moravam junto à tia Laura (?).

Purim
Moravam muito perto deles logo na subida do morro para o lado do “Kanels”. A tia Olga a convidou para ir a sua casa para tomar um café.

Zalit
O João Zalit casou com a Matilde Karp uma das moças mais bonitas da época. ???

Slengmann
Os Slengmann morava perto do Och.

Zeeberg
Os Zebeerg de Mãe Luzia eram Adventistas. Um Zeberg que tinham duas filhas e foram para Nova Odessa. Eles moravam perto da tia Lina -Será que não eram os Lieknin?

Eu voltei morar em Rio Novo para estudar com o Professor Elbert.

_________________________________________________________________________________________________

Ficamos muito gratos pela atenção e gentileza de nos fornecer estas informações. Sabemos serem poucas, mas demonstram o que do tempo de criança uma pessoa adulta consegue lembrar-se do passado dos fatos que marcaram a sua mente naquela época.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s