Uma viagem missionária do Pastor Karlos Stroberg. – 1927 – De Lucija para Reynaldo Purim

Rio Novo 26 de maio de 1927

Querido maninho. Saudações!!

Recebi a tua carta escrita em 24/03/27 há bastante tempo atrás, mas não tinha tempo de responder, porquê aqui temos muito serviço e quando a gente trabalha demais durante o dia não tem gosto nem vontade de escrever à noite.

Serviço aqui não falta e ainda o deslocamento de uma casa para outra então para mim e para as correrias, nós temos de sobra.
Aqui nós estamos passando relativamente bem, O tempo também está bom e quente. Umas semanas antes veio uma chuva muito forte e depois quando limpou veio uma grande geada. Para a maioria das pessoas a geada matou muito feijão, o prejuízo foi muito grande. Nós fomos espertos, pois nem feijão nós não plantamos e por isso não tínhamos feijão para a geada matar. Agora o tempo está bom e já há algumas semanas é bastante quente apesar das manhãs serem bem frescas, mas quando chega ao meio dia o suor escorre como no verão, apesar dos dias serem muito curtos.

Hoje é o dia da Ascensão do Senhor e houve uma festa com programa especial na Igreja liderado pelo pessoal da Escola Dominical que foi até o meio dia. As crianças apresentaram poesias, hinos e músicas especiais e àquele café com pão e bolos por 400, réis por pessoa. Há tarde foram correr e fazer piquenique.

Foi hoje também que o Stroberg contou os detalhes de sua viagem, pois ele chegou em casa somente na terça feira à noite de sua viagem missionária que durou 10 dias quando visitou os irmãos da Igreja de Mãe Luzia onde o trabalho foi muito bom. O comparecimento aos cultos foi grande e houve um avivamento e conversões ao lado de Jesus e quando na próxima viagem deverão ser efetuados batismos. O Stroberg ainda foi a Laguna, Tubarão, Pedras Grandes locais onde organizou cultos em clubes e outros locais todos bem concorridos por pessoas muito atenciosas. Insistiram para que voltem liberando locais como clubes e outros lugares inteiramente sem qualquer ônus para a realização destes trabalhos insistindo que levem com os corais e também os músicos. Agora o Stroberg tem um campo muito vasto e não sabemos se ele vai dar conta por que há lugares muito longe. No domingo eles vão a cavalo para Grão Pará onde também eles são bem recebidos pela população local.

Ainda o Karlos Stroberg e um dos Klava foram 6 horas a cavalo e seguidos por outros rapazes carregando instrumentos musicais foram até um pequeno povoado chamado Meleiro habitada por gente de sentimentos muito nobres e é liderada pela distinta família Napoli [ Pode ser algum ramo da família de Miguel Napoli , importante administrador da Cia Metropolitana que foi a Colonizadora de Nova Veneza e adjacências – Ver História de Nova Veneza de Zulmar H. Bortoletto. Pref. Mun. Nova Veneza.] e nesta pequena cidade celebraram um culto muito bem concorrido. Até o padre pôs a disposição o templo da Igreja Católica. Mas, o templo dele era muito pequeno assim mesmo agradeceram e declinaram de tanta consideração, mesmo porquê outro local maior já tinha sido preparado, mas eles fizeram prometer que em outra oportunidade a oferta continuaria em aberto. Os filhos do senhor Napoli disseram que se as visitas continuassem regulares eles iriam construir um local apropriado definitivo isto é um templo para a Igreja.A escola regular aqui no templo da Igreja conta agora com 17 alunos. Quando o Stroberg está em casa, é ele com a Griselde que dão as aulas para as crianças. Quando o Stroberg tem que ir a algum lugar,, então, a Griselde sozinha domina as crianças desobedientes.

Você escreveu para o Karlos Salit? Aqui corre um boato que o Karlis teria casado.

Hoje vou ter que terminar porquê já é tarde e hoje também eu pulei cedo quando o sol apareceu por detrás da Serras eu já tinha dado comida para todos animais e tinha que me apressar mesmo para chegar na hora na Igreja. Amanhã também eu tenho que levantar cedo para Orleans para levar manteiga e ovos.

Ainda teria muito que escrever, pois eu não sei resumir então eu vou continuar na semana que vem quando vou escrever outra vez.
Lembranças do pessoal de Larangeiras e da senhora do Caciano.

Agora vou esperar uma longa carta com muitas notícias.
Ainda muitas lembranças da Lucija.

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s