… logo antes da Páscoa deste ano chegou do Kaukaso lá do interior da Rússia.| De Olga Purim para Reynaldo Purim -1922

Rio Novo 3 de outubro de 1922

Querido Reini. Saudações!

Recebi a tua carta há semanas atrás. Obrigada. Aqui eu estou quase como você que não consegue responder as cartas de imediato. Há uma 3 semanas atrás eu e a Lucija enviamos longas cartas para você quais esperamos que tenhas recebido. Eu não sei o que seria tão importante que tinhas para nos contar.

Pode ser alguma coisa que há muito tempo já saibamos, pois o Karlis Leiman quando esteve em Rio Branco na Convenção encontrou o Shephard [Shephard era o Diretor do Seminário Batista no Rio de Janeiro] e este disse que você é o aluno mais aplicado e inteligente dos que este ano vão terminar o Curso. Nas cartas você pergunta se nós lemos tal e tal artigo e é claro que nós lemos, mas faz tempo que não tem chegado mais.

Nós vamos suficientemente bem graças ao bom Deus. O tempo está nublado e está sempre mais chuvoso do que tempo bom.

As novidades no Rio Novo seriam estas: Na semana passada chegou de viagem de Nova Odessa o Conrado Frischembruder e sua Lídia. Também o Oskar Karp também com a sua Lídia que tinham ido a Nova Odessa em agosto vieram juntos. Estes tinham ido a São Paulo visitar os parentes e ver o mundo do lado de fora, pois nunca tinham saído e agora voltaram juntos.

No Sábado passado houve mais um casamento; foi da Emma Burmeister com o Felipe Karkles. [Felipe Karkle – Era o pai do Zefredo Karklis e outros] e foi maravilhosa a festa!

Você quer saber como está passando o novo professor. Eu não saberia dizer como realmente ele está passando, pois ele mora sozinho na Igreja, as crianças são poucas, mas como professor eu posso assegurar que melhor que o Treiman ele é.

O Alexandre Klavin que esteve em São Paulo viu e admirou os métodos usados pela União de Jovens de lá. Então ele e o Emílio [Emílio Anderman muito conhecido em Urubicí] querem implantar as novidades aqui. Houve diversas noites de apresentações variadas e culturais tais como: história do Estado de São Paulo, a imigração leta no Estado de São Paulo e como é o trabalho das Igrejas e das Uniões de Jovens; ilustrando com exemplos, contando fatos interessantes e discorrendo sobre eventos e outras atualidades. Todas reuniões foram bem concorridas e muito bem dirigidas.

Além disso, o Aléxis [Klavin] é um cantor com uma voz maravilhosa sem outra igual por aqui..

No dia 16 de outubro será a Festa de aniversário da União de Mocidade de nossa Igreja. Os preparativos estão já estão sendo feitos. Pode ser que até o Deter venha para a festa.

O Karlis [Leiman] escreveu que eles iriam sair de viagem no dia 20 de setembro, mas até agora não apareceu ninguém.

Há pouco tempo atrás recebemos cartas de nossos parentes da Letônia. Eles ainda estão em Latgale. Ambos André e Jekabs escreveram. Porquê o André logo antes da Páscoa deste ano chegou da Kaukaso lá do interior da Rússia. Eles tinham ido para lá em 1917 saindo da turbulenta São Petersburgo e ficaram morando lá até o final da guerra. Então começaram a viagem de volta para a Letônia. Levaram 6 meses de dificuldades imensas, fome, frio, doenças e ainda ele continua doente. São só os três, ele o André, a Ieva e o filho Jahnis que moram junto com o Jekabs. Estão escrevendo que quando as crianças terminarem de tecer e costurar as roupas novas eles vem embora para o Brasil.

O Jekabs virá com a família pagando as suas próprias passagens, mas o André não tem este dinheiro todo. Então o André está pedindo que enviem as passagens marítimas através do governo, então ele virá também e vai trabalhar duro para pagar tudo e não vai ficar devendo nada. Agora vou ter que escrever muita coisa para eles, pois eles querem saber muita coisa daqui.—

Domingo passado recebemos cartas do Fritz e do velho Leiman. O Fritz apressou-se em contar que no dia 4 de setembro às 6 horas da manhã a mãe foi para a morada eterna. Ela viveu com eles na Argentina somente 8 dias… Então foi para aquela casa que ainda não podemos ir…— O Fritz contou que a mãe chegou tão fraca que tinha que ser carregada do vagão para o automóvel e daí para o quarto. O médico que a estava tratando tinha assegurado que ela iria viver mais uns 5 ou 6 meses, pois ela já não teria mais preocupações… Mas viveu somente 8 dias.—

Bem hoje chega. Lembranças de todos. Olga.-

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s