Eles eram os únicos parentes nossos aqui… | De Olga Purim para Reynaldo Purim – 1922

Rio Novo 9 de julho de 1922

Querido Reini – Saudações

Recebi a tua a tua carta datada há bastante tempo, mas não quis responder de imediato porquê o Karlis [Leimanis] na última manhã que passou em nossa casa prometeu contar tudo como as rodas giram por aqui para você lá no Rio. Achei que seria muito melhor do que uma simples carta e aqui o tempo continua escasso com tanto serviço para ser feito.

Hoje também não vou escrever muito, pois chegamos agora à noite do último culto dirigido pelo Fritz Leiman e amanhã ele vai embora e nós ainda vamos até Orleans para acompanhar na despedida. Pode ser que o Karlis já tenha contado que o Fritz veio buscar os pais que estão sozinhos e incapacitados para viverem sem acompanhamento.

Nenhum dos filhos queria voltar a morar aqui. Então o Fritz convenceu a ambos os velhos que em indo junto com ele as preocupações cessariam tanto deles próprios como dos demais irmãos que não tinham sossego imaginando como os pais estariam longe e sozinhos. Eles ficaram muito tristes ter que deixar lugares queridos e pessoas amigas. Mas o Fritz com suas brincadeiras e muito bem humorado está tentando minimizar o trauma, pois a mãe não estava com esta saúde toda. Mas a pesada sensação que será a última vez que estarão abraçando os amigos deixa o ambiente muito triste.

A Sra. Leiman veio para o culto ontem à noite e não mais voltou para a sua casa, ficou hospedada na casa dos Ochs. Foram o velho e o Fritz buscar parte da mudança para viajarem amanhã. Tu não imaginas a nossa tristeza, pois se os velhos estão indo embora; os filhos que apareciam aqui eram por causa deles e agora pouco provável que eles por aqui apareçam outra vez. Eles eram os nossos únicos parentes aqui….

Teria muita coisa para escrever, mas está difícil para se concentrar em um momento destes.

Não sei se você vai achar por bem ou por mal, mas nós compramos do Leiman as roças, os animais, a fábrica de farinha de mandioca e todas demais utilidades domésticas. Agora vamos ter que morar alguns tempos por lá. O Fritz como também o velho Leiman sugeriram que também fosse comprado o terreno e lá instalado o tio que deverá vir da Letônia para o Brasil e menos traumatizante para a Sra. Leiman deixar as coisas para os parentes daqui do que vender para estranhos e este tipo de preocupação deixá-la doente novamente.

Se você souber algo sobre a chegada destes nossos parentes tente avisar que nós os estamos aguardando-os aqui.

Já chegaram os parentes dos Auras que vieram da Alemanha. Bem por hoje chega.

O tempo está seco e o inverno está quente e nenhuma geada grande ainda não ocorreu.

Os jornais já chegaram há bastante tempo.

Não se assuste se nós aparecermos por lá. Só não esqueça de encomendar um grande almoço.

O Fritz esteve um domingo em casa e fez um serviço não recomendado (tirou fotos) e depois trouxe os resultados em forma destes retratos quais não ficaram muito nítidos porquê alguns sais de revelação estavam em falta para ele, mas assim mesmo estou mandando para você.

Então até outra vista. Olga

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s