…que nossos parentes não vão gostar, |De Olga Purim para Reynaldo Purim – 1922

Rio Novo 30 de abril de 1922

Querido Reini: Saudações!!

A tua carta escrita na Sexta feira Santa eu recebi no dia 21 de abril. Este veio rápida, pois levou somente uma semana. Obrigada! Foi também na Sexta feira Santa que recebemos a tua carta escrita no dia 31 de março. Os demais escrevedores mandaram cartas no dia 21 de abril e eu não mandei nada porquê já tinha mandado uma no dia 12 de abril.

Na Sexta-feira Santa aqui o tempo esteve bom igual lá no Rio de Janeiro. No Domingo da Páscoa já estava nublado e choveu um pouco. O tempo aqui está este ano mais chuvoso e na semana passada estava desagradávelmente encharcado e aborrecido. Então hoje está um tempo bom e quente e pode ser que daqui em diante comece a melhorar e não chover tanto. Este ano choveu sem conta e já há muitas espigas de milho apodrecidas e se continuar vão, apodrecer muito mais.

Pelo Rio Novo não há quase nada de novo. No próximo mês estão sendo esperados o Deter e o Karlos Leimann. Pode ser que cheguem já na semana que vem, mas isso a gente não consegue saber o certo, pois o meio de transporte para as viagens não são estas coisas Quando eles chegarem vai ter festa aqui no Rio Novo para eles, pois coincide que é no mês de maio que o Deter vem para o Rio Novo, pois já vai fazer dois anos, pois no ano passado ele esteve nos na América do Norte, então não veio, mas agora ele vem.[Ele tinha estado em Rio Novo há dois anos atrás]

Na carta passada eu escrevi sobre os nossos parentes que querem vir para o Brasil. Algumas pessoas aqui recebem de lá de Riga o “Kristiga Balss” [A Voz do Cristão, jornal publicado em Riga] e lá está escrito que vem muita gente de lá isto é mais de mil pessoas.

O Matis Feldbergs de Nova Odessa tem escrito para o Frischembruder que o governo de São Paulo vai trazer estes letos com as despesas por conta do Estado. E que Inkis e o Malvess já estiveram vendo estas terras. Onde eles querem levar os letos é bem no interior de São Paulo, logo acima da divisa com o Estado do Paraná, bem dentro da floresta virgem e muito longe mesmo pois a passagem de trem de São Paulo até lá custa mas de 50$000. Então por ai você pode perceber que nossos parentes não vão gostar, pois eles tanto falam no grande encontro da família e se forem para lá não vai dar.

O próprio Inkis tem dito que os letos não vão gostar, pois é uma área completamente desabitada e como sobreviver num local tão sem qualquer ajuda do Governo Brasileiro. Se os nossos parentes pudessem vir para cá, seria muito melhor.

Desta vez chega, pois não tenho mais tempo, pois tenho que ir ao ensaio do Coro da Juventude e amanhã ir para a cidade. Com muitas lembranças de todos. Desculpe a pressa, mas ler você vai conseguir. Olga.

[Obs. O resultado deste movimento de Imigração foi A implantação em pleno sertão da Colônia Varpa e da Comunidade Evangélica Palma no Município de Tupã]

Advertisements

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s