Logo ele vai embora para a sua tão louvada Argentina… | De Olga Purim para Reynaldo Purim – 1922

Rio Novo 9 de fevereiro de 1922

Querido Reini:

Primeiramente te envio muitas amáveis lembranças. – Desta vez eu vou ter que escrever bastante porque devo respostas as duas cartas. A tua carta escrita em 14 de janeiro eu recebi no dia 27 de janeiro, mas devido o tempo de intensas chuvas não respondi, porque o tempo não estava propício para escrita e terminou ficando para quando o tempo melhorasse e na noite de segunda feira dia 6 de fevereiro recebi a outra tua carta escrita no dia 23 de janeiro. Junto com aquelas perfumadas folhas de plantas. Por tudo isso muito obrigado. –

Você mesmo está ficando rico com tantos presentes importantes e onde puseste aquelas flores que ganhaste. Aqui no Rio Novo, qual o pastor que iria ganhar tantos presentes?

Nós estamos passando mais ou menos bem. Somente a chuva é demais este ano. E assim é a vida de qualquer colono que fica diretamente dependente do tempo. Quando é muito seco, nem quando a chuva é demais, não é nada bom. Durante todo o mês de janeiro tivemos dois dias sem chuva. Todos dias ora chuva fina, outros dias chuvas com trovoadas e houve semanas que choveu da manhã à noite e outras vezes as noites inteiras. Todo tempo com os rios imensos e cheios d’água e quantos riozinhos pequenos se transformando em ruidosos ribeirões. Você pode andar em partes baixas ou no alto dos morros, você encontra nascentes em profusão. As estradas estão totalmente cheias de valetas e grandes pedras expostas que a gente não consegue acreditar como a água pode arrancar tantas e tão grandes pedras em pleno leito da estrada. Nesta semana já teve alguns dias com tempo bom, mas hoje a noite já está chovendo novamente.

Por isso, os trabalhos nas roças não estão nada fáceis. As plantas daninhas crescem demais e também não adianta capinar, porque tudo continua a crescer mesmo. A grande maioria já conseguimos capinar. Hoje fomos capinar na Bukowina. Lá à parte roçada queimou bem e não veio tanto mato.

Noutras partes por ai já houve grandes tempestades, mas aqui no nosso terreno, não houve nada. Começamos a plantar o feijão e faltaram 6 litros para uma quarta!

Na semana passada arrancamos ou fizemos a colheita de batata inglesa. Nós poderíamos até dar um saco de batatas para você, se você não tivesse esquecido de como comê-las. As batatas deram excepcionalmente este ano e num pedacinho onde plantamos 4 quartas de semente nós colhemos 13 sacas. Tínhamos também plantado em outro lugar onde também deu, mas não tanto, quanto nesta primeira roça. Estas, nossas batatas, serviriam para vocês grandes cozinheiros, que gostam de pouco trabalho.

Se você estivesse em casa, poderia comer pepinos pela manhã, no almoço e a noite e assim mesmo não daria conta. Ontem nós trouxemos uma carga inteira no cavalo só de pepinos.

As uvas já estão terminando e este ano também foram muito boas. As melancias se não houvera chovido tanto, seriam melhores, no começo elas cresceram bem, mas agora está encharcado demais, mas temos algumas já bem crescidas e daqui uns tempos estarão maduras. Vocês comem melancias nas refeições ou em alguma outra ocasião? Ou você está como o Augusto Klavin lá em Kuritiba que vê melancias à venda por 3$000 e em casa não pagaria nem trezentos réis.

Na semana passada houve em Orleans o funeral do velho Grüntals que faleceu no dia 29 de janeiro e foi enterrado no dia 30

Willis Leiman já viajou no dia 12 de janeiro, mas a Lucija e as crianças ainda ficaram. O Willis não quer mais morar aqui de jeito nenhum. Os velhos por sua vez não querem vender nem sair daqui e assim parece que ainda não conseguiram sair do impasse.

Na quarta feira quando o Willis dirigiu o último culto, logo após houve uma festa de despedida e onde foi feita uma coleta de dinheiro para viagem que rendeu 40$. – O Arthurs disse que não tinha esquecido de você e tinha mandado uma carta logo depois do Ano Novo. Você recebeu esta carta?

Quanto à direção dos trabalhos na Igreja eles sabem se sair muito bem. O Willis você sabe, ele falava devagar, mas agora não fala mais tão devagar e está bem mais gordo que antes. –

O Arthurs continua do mesmo jeito que era antes e quando chegou era mais magro e agora está bem mais gordo. Quanto à comunicação, ele fala como antigamente somente bem mais desembaraçadamente, como deve ser um menino instruído.

Quanto ao cantar eles antigamente, cantavam o tenor e agora eles cantam o baixo.

Quanto ao trabalho na roça eu não sei direito, mas logo que o Willis chegou. Ele e o Arthur num lindo dia foram capinar uma roça de milho, que fica na divisa com os terrenos do Klavin. Mas logo o sol começou a esquentar. Como pessoas instruídas, encostaram os cabos das enxadas num toco de árvore e foram visitar os Klavin. Quando o sol já estava abaixando no poente ai lembraram das enxadas e o que eles vieram fazer e saíram correndo e agarraram com vontade e quando estava escurecendo a roça já estava toda limpa. –

No domingo passado o Arthurs foi visitar o Onofre [O Onofre Regis morava na Estação Barra do Norte ou Braço do Norte] e você não vai acreditar, ele foi a pé. O trem estava atrasado então ele foi andando.

Logo ele vai embora para a sua tão louvada Argentina e por isso tem que se despedir de seus antigos amigos como o Onofre.

O Karlos [Leiman] ainda não apareceu e parece que está morando no Rio Branco. O Rubis [Roberto Klavin] continua mergulhado em seus trabalhos, está desde o Ano Novo trabalhando em Mãe Luzia.

No dia 16 de janeiro chegou também o Butlers, era para ele ir as Conferencias, mas não foi. Ele ficou aqui somente 2 domingos. Ele veio visitar o velho pai dele e tomar outras providências. O velho mora sozinho, com os seus diamantes e agora já pode andar inclusive foi a Igreja algumas vezes. E a Anlise leva a comida. O Butlers não é mais Pastor em Kuritiba por causa do problema de sua voz. Agora somente é professor de uma Escola Superior da cidade e este ano vai mais cuidar de sua saúde. Se de tudo não puder falar tanto, então ele voltaria a morar no Rio Novo.

O Inkis também não pode ir a Rio Branco, mas ainda ele pensa de vir para visitar Sta Catarina e assim os Rionovenses estão convidando para a Festa do Jubileu dos 30 Anos da Igreja. Vamos ver se ele vem mesmo.

Bem agora chega mesmo. Com um tiro matei dois coelhos. Para que não seja demais leia uma página por dia senão vai dar nos nervos. Os Prospectos este ano não vais mandar? Os Jornais não tens mandado? Estarei esperando longa resposta.

Lembranças de todos outros de casa.

Com uma Boa Noite! Olga.
________________________________________________________

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s