Complemento: …também não gostei de ler estas cartas. | De Olga Purim para Reynaldo Purim

Uma pessoa achou difícil aceitar que o caixão pudesse ser feito antes da pessoa vir a falecer.
Então elaboramos uma série de motivos:

Você nunca morou nem morreu em área rural.
Imagine um monte de tábuas amontoadas num canto do paiol.
Achar as razoáveis cortar com serra manual e aplainar também com plaina manual.
A urna tinha que ser cônica conforme o modelo mundialmente aprovado.
Fazer o revestimento interno com tecido branco.
O revestimento externo com tecido negro.
Todo revestimento preso por tachinhas latonadas (douradas).
Rendas brancas contornando a tampa e o apoio da tampa.
As quatro ou seis alças de corda também revestida com tecido.
Hoje com ferramentas elétricas e grampeadores seria realmente mais fácil.
Eu me lembro bem que este meu avô Jahnis queria por toda lei fazer a sua ” Muza Maija” ou a sua casa eterna.
Este projeto foi vetado pela minha mãe.
Tenho certeza que ele teria feito este caixão dele muito no capricho.
Nem que levasse semanas para terminar.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s