Uma nota sobre a grafia



Em sua forma não flexionada, no modo nominativo, os substantivos em leto terminam com a letra “s”. Assim, Robert Klavin irá normalmente assinar “Roberts”; Artur Purim poderá assinar “Arturs”, e assim por diante.

Para complicar, aqueles eram tempos de transição, e não havia muita consistência em como as pessoas escreviam nomes e sobrenomes. Reynaldo Purim, o destinatário das cartas arquivadas neste sáite, é chamado alternadamente de Reini, Reinis, Reinaldo, Reinold, Reinolds, Reynold, Reynolds, Reynaldo, Reynold, Reynoldo ou variações ainda mais improváveis dessas mesmas raízes. Artur às vezes se diz Arthur ou Arthurs, Ludvig pode aparecer como Ludwig ou Ludovico, Lisete como Lizete, Lisette ou Lisetta, e assim por diante.

A mesma falta de consistência afeta a grafia de sobrenomes. Leiman pode aparecer como Leimann, Leimanis, Leimans, Leimanns; Feldberg pode ser Felberg, Feldsberg, Feldbergs, Feldsbergs; Klavin pode vir como Klavim, Klawin ou Klavins; Purim como Purin, Purens ou Purins; Rose, como Roze.

Para completar, alguns notários de plantão eram conhecidos por sua insistência em germanizar os sobrenomes letos acrescentando-lhes a letra “g”. Assim, Purim aparece em alguns documentos como Puring, e Klavin como Klawing.

Por vezes, como se vê em algumas cartas, a mesma pessoa usa uma grafia diferente para um mesmo nome (muitas vezes o seu próprio) em diferentes ocasiões.

Essa diversidade foi preservada nos documentos arquivados neste sáite e estende-se em parte à vida real, na grafia de nomes e sobrenomes dos descendentes de letos. Dentre os filhos de um mesmo Artur Purim, por exemplo (cujo nome oficial, para complicar, era Otto Roberto), há os que foram registrados como Purin e os que foram registrados como Purim. Semelhantemente, os descendentes de alguns ramos da família Karklin hoje assinam Karkling.

Durma com um barulho desses.

Anúncios
This entry was posted in Gerais.

5 comments on “Uma nota sobre a grafia

  1. Maria Heloisa Mamede Frischenbruder diz:

    olá
    estava pesquisando o nome de minha família e me aconteceu o que vc menciona neste post – meu nome no registro é escrito FRISCHENBRUDER então, só consegui localizar parte da minha história quando vi que havia outras formas de grafia;
    sou neta de Guilherme Conrado, filho de Juris (aprendemos que era JANIS) meu pai era Edmundo Frischenbruder, filho de Guilherme Conrado;
    vi no seu blog, fotos que não conhecia mas tenho uma delas ( temos outras também )
    fico feliz de, através da história de sua família, saber um pouco mais sobre a minha
    espero que tenha conseguido me cadastrar
    um abraço
    Maria Heloisa M. Frischenbruder

  2. V. A. Purim diz:

    Olá Maria Heloisa!! Obrigado pelo interesse pela sua história. Gostaria de saber se você pode ceder cópias em alta resolução para publicação de mais fotos de sua família. Aquele abraço.
    V.A.Purim

  3. Mellini diz:

    Olá,
    Eu me chamo Mellini.
    E procurando sobre a estoria da familia Balod no Rio de janeiro encontrei o seu blog que conta a estoria de que a familia Balod foi uma das que ajudarão a fundar as primeiras igrejas Batista em solo brasileiro, fiquei muito emocianada quando descobri este blog, afinal eu oro praticamente todos os dias por esta familia…
    Eu namorei com um rapaz de sobrenome Balod, que mora em uma vila no Rio de Janeiro com o nome de sua Bisavó Julia Balod se não me engano, a vila era toda da familia, porem eles tiveram que vender a maioria das casas da vila por motivos pessoais.
    Gostaria de trocar com vc alguns fatos e talvez unir uma parte dessa familia que alguns Balod’s do Rio de Janeiro ainda não conhecem.
    Gostaria de dar a eles esse presente, pois os amo!
    Enfim eu gostaria de poder conversar com vc, bater um papo…

    Grande Beijo.

    • V. A. Purim diz:

      Olá Mellini. Você está procurando informações sobre a história das Famílias Balod. Aqui pelas informações que tenho parece que foram pelo menos 3 famílias Balod e possivelmente mais.
      Preciso que você consiga mais informações sobre o roteiro da imigração deste Balod lá do Rio de Janeiro.
      Tenho conhecidos que são descendentes dos Balod mas eu prefiro que você esgote todas as possibilidades lá para depois começarmos a busca por aqui.
      O meu e mail é vapurim@onda.com.br que também pode ser utilizado
      Aquele abraço
      V.A.Purim

  4. V. A. Purim diz:

    Reblogged this on Colônia Leta do Rio Novo.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s