Os mais doces sonhos | Fritz Jankowoski a Reynaldo Purim

Laguna, 26 de maio de 1920

Querido amigo Reinold!

Que a presença de Deus seja a sua Força!

Agora me encontro em viagem do Rio Novo para a minha casa. Deixei Rio Branco [Guaramirim] dia 10 de maio com destino à Convenção em Rio Novo. Em 17 de maio, depois de muitas dificuldades e desconforto, desembarcamos em Orleans, onde fomos recebidos em meio a honras e atenções. Depois de um lauto lanche na casa dos Stekert fomos apadrinhados cada visitante por um dos hospedeiros locais que tinham vindo ao nosso encontro buscar-nos na Estação da Estrada de Ferro, e que deveria praticamente permanecer responsável por nós até o final do congresso.

Ao meu lado foi colocado o teu irmão Arthur, e ficou determinado que nos mantivéssemos juntos. Ele foi o meu guia de inteira confiança durante toda a minha estada ali, e ainda hoje pela manhã me trouxe até Orleans. Também o meu ponto principal de hospedagem foi na casa de teu pai.

O congresso teve início no dia 17 de maio e se prolongou até 21 de maio. Todas atividades se desenvolveram na mais perfeita ordem e no melhor espírito cristão, deixando uma sensação de alegria e revigoramento em todos os corações que participaram, os quais em espírito de serviço e gratidão servem diligentemente ao Senhor e estão prontos para a voz d’Ele ouvir e obedecer.

Eu nesses dias passados aprendi bastante tanto nas atividades normais da Convenção como também significativo percentual com pessoas individualmente, pois na minha estada em Rio Novo me sentia como estivesse em minha própria casa. Fosse onde fosse era recebido com uma verdadeira hospitalidade cristã. Em alguns lugares foi tão clara essa demonstração que sou forçado a reconhecer que fico eterno devedor destas infindas mostras de atenção e carinho a mim dirigidas.

Foi com o coração oprimido por obstáculos outros que não pude ficar neste berço tão confortável, nesta localidade onde as paisagens são tão fantásticas, carregadas de uma luminosidade e cor que despertam em nosso coração o desejo de voar pelas alturas e sonhar sonhos, os mais doces sonhos…

Mas a vida é áspera e dura e requer uma determinação, uma postura enérgica e constante perseverança. Portanto uma vida sem um ideal é como somente uma parte de uma casa, como também da vida…

Quanto aos rionovenses tenho que admitir que são um povo enérgico. Alguns até mais que eu podia esperar. Um deles me receitou e aplicou uma ducha com grande quantidade de água fria. E como aquilo veio para o bem de minha saúde.

Já escrevi uma carta de Rio Branco e gostaria de saber se já recebestes. Peço que no mesmo endereço não mais menciones: Rio Branco, pois isto dificulta o recebimento das cartas. Simplesmente suprima esta palavra e o resto deixe tudo mesma coisa.

Vou esperar sua uma carta como nunca. Com muitas e sinceras lembranças,

Fritz Jankowoski

Advertisements

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s