Os primeiros pepinos | Artur Purim a Reynaldo Purim

Rio Novo, 18 dez, 1918

Querido irmãozinho,

A tua carta eu li. Muito obrigado. Estou indo bem, estou com saúde. Nós sempre esperávamos que você viesse para casa, mas agora não há o que esperar. Se você tivesse vindo poderias ajudar a levar o [porco] Ralschaku, que agora é grande gordo e pesado. Vamos ver quantas arrobas vai dar. Nós ainda temos 5 porcos na engorda para levar para vender este ano. Melancias ainda não estão maduras, mas nós hoje, — melhor, esta noite — comemos os primeiros pepinos. Bem, por hoje chega, amanhã vamos à cidade e por isso hoje à noite não poderei escrever muito.

Desejo um Feliz Natal para você. Aqui na Escola Dominical não vamos ter festa este ano. Quem dirige é o Leiman. O Arnolds foi para a serra [NOTA: Planalto serrano, provavelmente Urubici]. Então não viajaste para São Paulo. Nos Klavin tem aqueles filhotes de gafanhotos que comem todas as plantas das roças.

Com muitas lembranças,

Arturs [Otto Roberto Purim, aqui com cerca de 13 anos de idade]

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s