Os dedos começam a congelar | Olga Purim a Reynaldo Purim

Rio Novo, 21 de junho de 1918

Querido Reinold,

Primeiramente envio muitas lembranças. Há muito tempo estamos esperando alguma carta sua, mas como não vem, o que se há de fazer. A última recebi no dia 9 de maio e em seguida preparei uma longa carta em resposta; junto mandei um pacotinho e sei que você a recebeu pelas anotações nos jornais. Mas a resposta não recebi nem junto com os jornais nem avulsa. Às vezes penso que tenha sido extraviado ou que alguém tenha tirado e não entregue. Os Boletins temos recebido regularmente.

Desta vez não tenho muito o que escrever. Nós vamos bem. Estamos com saúde, apesar da tosse estar na moda. Isso porquê o tempo é muito irregular. Até agora [os dias] eram sempre quentes, mesmo quando chovia ou quando o sol brilhava. Esta semana teve chuva, mas a temperatura em geral esteve muito quente; porém começou soprar um vento frio e logo limpou o tempo e em seguida, ontem pela manhã, deu a primeira geada do ano.

A geada chegou até a nossa casa, mas não era das grandes. Neste ano ainda não tinham ocorrido geadas em nenhum lugar por aqui. Ontem pela manhã, com a geada, o tempo estava limpo, mas com o passar do dia começou a ficar nublado e continuou muito frio. À noitinha começou uma chuva muito fria, mas hoje já não está tão frio.

As chuvas são tão frequentes que nos impedem de bater o feijão, apesar de não ser tanto que ainda falta. Estão arrancadas já há bastante tempo, e a colheita também levou muito tempo por causa do tempo chuvoso. Este ano não fizemos a eira na roça devido à umidade. Batemos o feijão no terreiro. Atrelamos o Bosi e vamos buscar na roça perto do mato ou aquela perto do cedro, carregamos de feijão por bater e trazemos para casa. Se o tempo ajudasse já teríamos terminado. No ano passado, antes do São João, o paiol estava quase cheio de milho, mas este ano o tempo não deixa.

[Leia sobre o cultivo do feijão]

[NOTA: O cedro mencionado era um pé de Cedrela brasiliensis – Cedro branco. Havia outras variedades de cedro: Cedrela fissilis – Cedro vermelho; Cedrela sp — Cedro rosa. O menos nobre era o cedro batata, que por ser muito macio e tenaz, era usado para fazer as “cantadeiras”, que eram os mancais dos eixos dos carros de bois. Já os próprios eixos eram feitos de madeira bem dura como a peroba ou o pau jacaré (Laplacea semiserrata) que é uma árvore espinhenta, mas depois de seca se torna dura e resistente]

Fizemos uma cerca nova na parte baixa do pasto, na divisa com o terreno da igreja, pois a velha estava muito podre. O Augus [Augustin] não saiu da zeladoria da Igreja; parece que o Peteris não tinha amigos em quantidade suficiente para votar nele. Outra razão: como ele não ia plantar nada, a comunidade teria que sustentá-lo.

Não faz muito tempo faleceu o velho Rebeins e, pouco tempo depois, a esposa. Logo em seguida Emilio e o Rodolfinho casaram, não sei se com brasileiras ou italianas.

Ainda uma novidade: no dia 6 de junho, logo depois do meio dia, do lado do morro do Grikis, começaram vir gafanhotos, mas numa quantidade imensa como nunca tinha visto antes. Perto da nossa casa eles não pousaram; todos seguiram em direção do morro do Leepkaln.

Era uma nuvem tão densa que escureceu o sol e um ruído com fosse um prenúncio de uma tempestade. Começaram a surgir às 13h30 e terminaram de passar às 15h00; tivessem pousado seria uma camada muito grossa. Na nossa Bukovina eles pousaram, mas o prejuízo foi pequeno, pois comeram as folhas e baraços das abóboras e o milho estava a salvo, porque já estava seco. Por isso eles não ficaram e seguiram em frente. Esses gafanhotos eram diferentes, porque aí para frente só pousavam para se alimentar e iam embora.

Bem, agora chega os dedos começam a congelar e amanhã terei que ir à cidade. Quando receber alguma carta, sua, vou escrever mais. Escreva bastante, pois semana que vem você deverá estar em férias.

Os chapéus não ficaram grandes demais? O que você fez na Festa do Verão? [NOTA: Festa da ascensão do Senhor — no hemisfério norte era verão]. Aqui esse dia foi realmente de verão: quente e seco. Neste dia o Robert [Klavin] e o Arnolds [Klavin] foram para as Serras.

Ainda muitas lembranças do Papae, Mamae, Lusija, Arthur e

Olga

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s