Todos os moços se apressam em casar | Olga Purim a Reynaldo Purim

Rio Novo, 11-11-1917

Querido Reini,

As tuas cartas recebi. Muito obrigada. Ontem o Arthurs [Leiman] trouxe aquelas que vieram no nome dele. E agora de manhã o Roberto [Klavin] trouxe aquela escrita no dia 19 de novembro, junto com o boletim e dois jornais, só que a carta era muito curtinha.

Você pergunta se todas cartas foram recebidas. Sim, com exceção daquela escrita dia 21 de setembro, que até hoje não chegou. Daqui para a frente você pode mandar cartas registradas em nome dos Klavin ou dos Leiman, porque os espertos que gostam de apanhar as cartas dos outros tem medo de assinar, pois logo se descobre quem é o malandro.

Aquela fotografia sua junto dos seminaristas gostaria que você comprasse uma e mandasse, pois 1$300 é muito barato e nós vamos pagar. Aquela sua deve ficar com você.

Aqui corre um boato de que vão voltar a perseguir os alemães. Se for verdade, não é nada prudente [você] ir passar as férias em S.P. com o Ludi [Ludvig Rose]. Quem garante que ele mesmo não tenha que fugir? Aqui os seus colegas dizem que você pode e deve passar as férias, mas não aqui em Rio Novo, pois uma vez aqui poderá ser convocado para servir o exército.

Jepis ainda está aqui em casa e pensa que vai ficar, até que alguém o queira. Aqui está um tempo seco, há mais de um mês não chove. Fica nublado, mas as nuvens se dispersam rapidamente. As vezes dá uma peneiradinha que não chega molhar o pó. Na maioria do tempo o céu é limpo e sopra um vento fresco. Os dias quentes ainda não chegaram.

Na semana passada passou uma nuvem de gafanhotos, mas não pousaram. Os serranos contam que nas serras tem muitos gafanhotos, mas não começaram a descer. Em Mãe Luzia os gafanhotos são tantos que é um horror, formam uma camada grossa e puseram ovos. Os Klava escreveram para o Rio Novo consultando se há possibilidade deles trazerem o gado, pois lá não tem mais o que comer e é possível que morram de fome.

No Rio Novo vai tudo mesma, coisa. Hoje houve batismos. Batizaram-se duas filhas do Auras e o Jekabs e o Wilips Karkle [Nota: Jacob e Felipe Karkle. Esse Felipe mudou em 1946 para Pato Branco, no Paraná. Era casado com Da. Ema Burmeister. Formaram numerosa família, entre eles o Zefredo Karklis, agora morando em Curitiba.] Como foi eu não sei.

O Oskar logo vai se casar. O Arvido está em Nova Odessa, ele não se dá muito bem com o Oskar. Ele tem dito que não vai morar com o Oskar e a Lida para não ficar debaixo do tamanco deles — o Oskar como patrão e ele como empregado. A senhora Karp também não quer nem ver a Lida.

No próximo sábado vai ser o casamento do Arthur Paegle com a filha do Hilbert, e vai ser na casa deles (dos Hilbert). Todos os moços se apressam em casar; só passa um e já vem outro.

Hoje eu vi o Jankus Frischembruder [Nota: João Frischembruder. Não confundir com o outro, que vamos chamar de João de Riga.] na estrada abraçado com a Laura Seeberg. Agora sim o “S” terá um genro importante. O Jankus é dirigente da União de Jovens do Rio Novo e a Laura é a Presidente da União de Moças.

Bem, por hoje chega. Vou aguardar longa carta; estou aguardando resposta de duas, quem sabe já estejam chegando. Desejo para ti todo bem — Viva com saúde.

Com uma sincera saudação — Olga

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s